Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Como detetar sinais precoces de stress nos idosos?

Como detetar sinais precoces de stress nos idosos?

O stress é algo que todos nós encontramos em algum momento das nossas vidas.

Embora o stress seja um fator comum que todos nós experimentamos, o stress pode ser particularmente avassalador para os idosos.

Apesar de muitas pessoas idosas terem lidado com muitas situações stressantes ao longo da vida, mesmo em idade avançada, existem fatores de stress que os podem afetar.

Os idosos são especialmente propensos a sentir-se sobrecarregados pelo stress.

Mesmo os sinais de stress moderados podem levar a um aumento da tensão para os idosos, além de terem frequentemente circunstâncias específicas que podem amplificar os efeitos mesmo dos pequenos fatores de stress.

Coisas como problemas de saúde, problemas de mobilidade, solidão e perda de independência podem ser fatores de stress para os idosos

O stress e o envelhecimento andam de mãos dadas ao longo de toda a vida.

Mais do que uma simples experiência mental ou emocional, uma situação stressante desencadeia respostas bioquímicas que põem os nossos corpos em situação de alerta para que possamos lidar melhor com essa situação.

No entanto, não podemos estar neste modo de alerta elevado durante longos períodos de tempo, e muito menos em longos períodos da nossa vida. As hormonas de stress e tensão podem ser reações verdadeiramente importantes em tempos de perigo real.

Mas, quando a nossa resposta ao stress é desencadeada regularmente no contexto de situações quotidianas, essas reações físicas e químicas têm um impacto na nossa saúde e na nossa capacidade de sermos resistentes e de lidar com o stress em geral.

O stress contribui para processos de envelhecimento em qualquer momento da vida, e os idosos enfrentam desafios adicionais para lidar com o stress.

Mais tarde na vida, os nossos corpos e mentes já passaram por muito stress e degeneração. É uma luta complexa, e a nossa melhor opção é dedicar uma atenção precoce para cortar os efeitos do stress nas suas origens.

O processo de stress começa com uma fonte desencadeadora, que leva a um sentimento de angústia, que pode levar a resultados prejudiciais como a ansiedade, depressão, maior risco de doenças cardiovasculares, dores articulares e diminuição da imunidade.

Podemos procurar os sinais de stress em idosos e procurar identificar as suas origens, a fim de evitar danos relacionados com o stress a longo prazo.

Alterações físicas que podem aumentar o stress dos idosos

As pessoas idosas podem não ser tão afetadas pelo stress como as pessoas de 20 anos, mas isso não significa que sejam imunes. Na verdade, pode ser mais difícil lidar fisicamente com o stress à medida que envelhecemos.

Temos tendência a ter menos resistência ao stress, e os idosos descobrem frequentemente que o stress os afeta de forma diferente em idade mais avançada.

Isto acontece em parte, por causa das mudanças físicas que acontecem nos nossos corpos, sobretudo a partir dos 50 ou mais anos.

Por exemplo, a aptidão física e a capacidade pulmonar podem diminuir com o tempo, o que torna a resposta natural do corpo mais envelhecido, ao stress mais difícil de lidar do ponto de vista físico.

Quando o stress faz com que o cérebro liberte hormonas que aumentam a respiração e os batimentos cardíacos, o corpo pode não ser capaz de lidar com o stress tão bem como quando o cérebro era mais jovem.

As mudanças físicas que acontecem com a idade não só podem reduzir a capacidade de lidar com o stress, mas também podem ser a fonte de stress.

Por exemplo, o stress em idosos pode ser causado por:

  • Dor ou desconforto recorrente
  • Questões de mobilidade
  • Doença das artérias coronárias

Situações que podem causar stress aos idosos

Quando chegamos aos 60 anos de idade temos tendência para encontrar diferentes fatores de stress que não ocorreriam aos 20 anos.

Numa idade jovem, uma situação stressante pode ser um exame de faculdade ou uma multa de estacionamento.

Isto não quer dizer que as pessoas na casa dos 20 anos não enfrentam stress mais forte, mas os idosos podem encontrar situações de stress emocional que são mais severas e ocorrem com mais frequência.

O stress que tende a afetar os idosos é, por exemplo, a perda de um ente querido, demasiado tempo não estruturado nas suas mãos, uma mudança nas relações com as crianças da família ou uma perda de capacidades físicas, tais como visão, audição, equilíbrio ou mobilidade.

Algumas causas situacionais de stress em adultos mais velhos incluem:

  • Chegar à reforma
  • Preocupações financeiras sobre o futuro
  • Exigências de cuidado para um cônjuge ou outro familiar
  • Mudança para uma nova residência

Quais são os sinais precoces de stress nos idosos?

Por vezes o stress passa despercebido simplesmente porque tendemos a estar habituados a esta forma de estar. É uma condição familiar, e em muitas ocasiões parece inevitável.

Mas quando podemos ver o stress como um processo evolutivo e compreender que o stress não tem de estar sob controlo, podemos tomar medidas e ajudar os idosos a fazê-lo também.

Quando também nos familiarizarmos com um estado de relaxamento e presença a cada momento, os momentos de stress tornar-se-ão mais percetíveis e será necessária uma atenção proactiva para o problema.

Os cuidadores, poderão observar as formas de estar de um idoso de dia para dia e anotar quaisquer mudanças. Ao tomar nota do seu bem-estar e comportamentos gerais é importante prestar particular atenção a fatores específicos.

Estes são alguns exemplos a que se deve estar atento:

  • Mudanças nos hábitos alimentares
  • Mudanças de humor
  • Maior irritabilidade
  • Ansiedade
  • Tristeza
  • Indiferença
  • Euforia ou excesso de atividade incomum
  • Dificuldades com a memória a curto prazo
  • Dificuldades de concentração
  • Padrões pouco usuais de julgamento
  • Retirada e isolamento
  • Menos atenção à higiene pessoal e autocuidado
  • Dores de cabeça de tensão
  • Mais dores do que o habitual e dores no corpo em geral
  • Doença frequente
  • Ganho ou perda de peso
  • Dificuldades em dormir
  • Baixa energia
  • Fadiga

Esta lista não é exaustiva. O stress pode aparecer de muitas maneiras diferentes para cada pessoa.

Prestar atenção aos estados de espírito e padrões da pessoa idosa, especialmente se forem notados por pessoas que os conhecem há muito tempo, pode dar pistas para o facto de que algo não está bem.

Um médico assistente do idoso é também um grande recurso quando se trata de identificar sinais e sintomas de stress na terceira idade.

E, claro, pode ajudar ainda mais pelo exemplo dado, se tiver uma idade próxima à do idoso, assumindo a responsabilidade pelo seu próprio stress e autocuidado.

Sinais de que o idoso está stressado

Nem sempre pode ser evidente que um idoso está stressado, sobretudo se for numa fase ainda inicial. Por isso, é importante perceber quais são os primeiros sinais, ainda que não muito óbvios para os detetar mais facilmente.

Os seguintes sinais de aviso podem indicar que o idoso pode estar a sentir os efeitos do stress:

Mudanças de humor

Um dos primeiros sinais de stress ou desconforto na terceira idade é a mudança de humor. O stress pode muitas vezes apresentar-se em frequentes mudanças de humor, irritabilidade ou uma sensação geral de tristeza.

Mudanças nos hábitos alimentares

Uma das formas mais comuns de os idosos mostrarem os sintomas físicos do stress mental é através da variação dos seus hábitos alimentares.

Eles podem nem sequer perceber que os seus hábitos alimentares mudaram. O stress pode muitas vezes desencadear uma súbita perda de apetite.

Além disso, o stress pode também estimular o desejo de comer em excesso para acalmar os sentimentos que são provocados pelo stress. Manter uma atenção consistente no idoso pode ajudar a detetar o stress o mais cedo possível.

Problemas ligeiros de memória

A palavra-chave aqui é ligeiros. O stress pode muitas vezes estar diretamente ligado a pequenas mudanças na função cognitiva.

Por exemplo, muitos idosos sob stress esquecem-se muitas vezes esporadicamente de coisas simples que normalmente vêm naturalmente, tais como um nome ou uma data.

A falta de concentração em geral é outro sintoma de stress em idosos.

Sintomas físicos

Sintomas físicos menores podem significar stress. Estes incluem coisas como dores gerais no corpo, dores ligeiras, dores de estômago perturbadoras sem causa específica, ou sintomas semelhantes ao frio.

Muitos idosos têm frequentemente dificuldade em adormecer ou dificuldade em permanecer a dormir quando são confrontados com stress.

Embora cada pessoa experiencie o stress de forma diferente, os sinais comuns de stress nos idosos também podem incluir frequentemente:

  • Problemas para dormir
  • Dificuldade de concentração e tomada de decisões
  • Sentirem-se pressionados ou apressados
  • Comer em demasia ou não comer o suficiente
  • Irritabilidade e alterações de humor
  • Desconfortos físicos, tais como problemas de estômago, dores de cabeça ou dores no peito

Como se pode ajudar a minimizar o stress para os idosos?

Tal como com outras experiências emocionais poderosas, o stress pode por vezes parecer tomar o lugar principal e estar no controlo de tudo.

Ajudar o idoso a afastar-se e olhar para a experiência de stress como algo que vai passar em vez de ficar preso no seu interior, pode ajudar o stress a ser ultrapassado e dominado.

O primeiro passo é aceitar e reconhecer que o stress é uma parte natural da vida. 

Depois é conhecer os fatores de stress e como são esses sinais de stress para o idoso, porque o que é stressante para uma pessoa não é necessariamente stressante para outra.

Saber como são os sinais de stress e onde eles ocorrem no corpo pode ser extremamente útil. Pode ser uma tensão nas costas ou pescoço ou uma perturbação no estômago.

Sentir os músculos do rosto tenso ou os dentes a apertar, são outros exemplos. Reconhecer a sensação e onde ela se encontra no corpo permite trabalhar essa mesma sensação no sentido de a desanuviar.

Outro componente importante é identificar o que causou o stress. Reconhecer os estímulos e as respostas emocionais, comportamentais e físicas que o idoso tem ao stress é crucial.

Só então se poderá tomar medidas e fazer alterações para mitigar o stress. Haverá sempre alguma forma de stress nas nossas vidas, mas o objetivo é mantê-lo controlável.

Finalmente, quando se trata da prevenção, pode ser diferente para todos os idosos. Para alguns, pode significar dormir mais, fazer exercício regular ou tomar vitaminas, enquanto outros podem beneficiar da reflexão, atenção e aceitação.

Não importa como ou o que se opte por fazer para mitigar o stress, a prevenção diária é fundamental. Identificar as fontes de stress pode ser incrivelmente útil, uma vez que transforma esta experiência, de outro modo esmagadora, numa relação de causa e efeito mais tangível.

Orientar os idosos para verem que a tomada de medidas em torno das suas causas de stress pode ser um método direto de dissolução do próprio stress.

Uma maior consciencialização e a utilização de técnicas de relaxamento podem na realidade tornar-se partes significativas das capacidades de um idoso para alívio do stress e melhor qualidade de vida em geral.

A criação de rotinas diárias para praticar o relaxamento em conjunto com familiares ou cuidadores é uma ótima forma de reiniciar o processo do stress e de como lidar com ele.

Isto pode envolver uma rotina suave de yoga que se pode fazer a partir de uma cadeira, uma meditação guiada para atrair o foco para o momento presente, ou um diário para ajudar o idoso a partilhar as suas experiências e sentimentos.

Dar passeios na natureza também pode ser um alívio do stress e ajudar a chamar a atenção para a positividade à volta.

É claro que estas não são ideias únicas para alívio do stress e relaxamento, haverá outras. Poder-se á pensar numa abordagem abrangente da gestão do stress a longo prazo, combinando vários elementos.

As fontes típicas de stress nos idosos podem incluir problemas existentes com coisas como saúde, finanças, relações pessoais, responsabilidades domésticas, e até mesmo a mudança da compreensão da identidade pessoal.

E as fontes de stress também apontam frequentemente para um isolamento crescente, especialmente se se perdeu um parceiro ou outros entes queridos.

Um declínio de atividades estimulantes e ocupação significativa e o facto de não se ter tirado tempo para explorar o que significa realmente aproveitar os anos mais tarde na vida, podem contribuir para o stress.

Poderá ajudar, debater em conjunto com a família as causas de stress, bem como potenciais soluções, passos e ação a fazer, e, eventualmente, falar com conselheiros através de terapia individual ou de grupo.

Outras atividades que podem ajudar a aliviar o stress dos idosos

Embora não se possa evitar o stress completamente, existem algumas atividades que podem ajudar a aliviar os efeitos e os sintomas do stress.

Várias destas estratégias podem fazer-se em casa para ajudar a acalmar a mente e a diminuir o stress:

Exercícios de respiração profunda

Provavelmente não se pensa muito, se é que se pensa em respirar, mas deve-se fazer. Respirar é o que faz o oxigénio fluir através dos vasos sanguíneos e expulsa o dióxido de carbono.

Tomar algum tempo todos os dias para sentar e concentrar em como se está a respirar pode ajudar a obter mais eficazmente o oxigénio de que o corpo necessita.

Respirar fundo para que o estômago se expanda à medida que se inspira. Sentir os pulmões a esticarem-se para baixo e o peito a encher-se de ar. Depois exalar lentamente. Começará a sentir-se os níveis de stress a descer após as primeiras respirações.

Basta um minuto para concentrar na respiração, relaxar os ombros e mentalizar que se pode lidar com a situação.

Apreciar os anos da última fase da vida, pode exigir um pouco de trabalho no início. Mas, respirar e desfrutar das pequenas coisas, pode sempre fazer com que os fatores de stress pareçam um pouco menos importantes.

Meditação

Este método, que também envolve a respiração, pode ser combinado com os outros exercícios respiratórios. A meditação tem demonstrado aliviar o stress com que se está a lidar no momento e ajudar a evitar que se tenha demasiado stress no futuro.

A prática da meditação pode assumir muitas formas, mas normalmente é feita limpando a mente de quaisquer pensamentos ou concentrando-se num pensamento específico.

Passar cerca de 5 a 20 minutos a limpar a mente desses pensamentos stressantes e a acalmar o corpo e a mente.

Exercícios cerebrais

Por vezes, um pequeno estímulo mental pode ajudar a diminuir o stress. Coisas como montar um puzzle ou fazer palavras cruzadas podem fazer com que a mente se concentre totalmente nessa atividade de resolução de problemas, em vez de se manter em efeitos que causam stress.

Exercitar o cérebro é também importante para a saúde cognitiva. Manter a mente em forma ao fazer exercícios cerebrais pode ajudar a prevenir a demência e manter a mente agilizada.

Redução de efeitos stressores

É provável que se consigam identificar algumas das coisas que nos stressam. Quando se sabe o que são essas coisas, reduzir o seu impacto na vida de cada um, ajuda a pessoa a permanecer mais relaxada.

O que é mais fácil de dizer do que de fazer, mas encontrar e enfrentar realmente a raiz do stress pode melhorar a vida de muitas maneiras.

Por exemplo, se um dos principais fatores de stress é um sentimento de inutilidade, o idoso deve tentar manter-se ocupado.

Encontrar um lugar para fazer voluntariado por uma boa causa ou até mesmo arranjar um emprego em part-time, são opções viáveis.

Mesmo a simples organização de um evento semanal ou mensal onde se junta familiares ou amigos pode fazer a diferença. Sair e conviver é também outra forma de exercitar o cérebro.

Conclusão

Muitos idosos vivem períodos de stress, especialmente quando enfrentam períodos de transição, como a reforma ou a mudança para um lar.

À medida que as pessoas envelhecem, desafios relacionados com a idade como condições de saúde, alterações cognitivas, exigências de cuidados, preocupações financeiras e a perda de um ente querido podem causar stress.

Quer o stress seja de curto prazo ou crónico, o corpo responde libertando hormonas na corrente sanguínea que aceleram o coração, a respiração e outros processos físicos.

O problema com a ativação contínua desta resposta ao stress é que ela pode enfraquecer o sistema imunitário.

Ao reconhecer sintomas de stress, os idosos e o seus cuidadores podem aprender a geri-lo melhor e a minimizar o risco de problemas de saúde física e mental associados.

Para os idosos, o stress manifesta-se frequentemente de formas mais físicas, incluindo problemas de saúde.

Os sinais de aviso de stress podem incluir dores de cabeça frequentes, problemas de sono, insónia, fadiga física e mental, dificuldade de concentração, alteração do apetite, tensão muscular, dor generalizada, dores no peito, perturbação do estômago, entre outros.

Assim, se alguém já tem alguns problemas de saúde crónicos, pode mascarar estes sintomas comuns de stress. Além disso, o stress crónico pode também levar a problemas de saúde mais graves como doenças cardíacas, tensão arterial elevada e diabetes.

Aqueles que vivem num estado de stress constante são também propensos a doenças como um resfriado ou a gripe, e as vacinas tendem a ser menos eficazes.

Se o idoso continuar a sentir os efeitos do stress, será melhor falar com o médico sobre isso. Por vezes, o corpo pode estar a ter efeitos físicos de stress que não se pode realmente identificar sem a ajuda de um profissional de saúde.

O médico poderá ajudar a orientar o idoso para ter uma melhor saúde.

O stress não é inevitável. Mas, manter uma mente aberta e abordar a experiência do stress com empatia pelos idosos pode significar a diferença entre uma vida que se torna mais difícil e dolorosa, e uma vida com mais saúde e bem-estar.

Juntos Cuidamos Melhor!

Na Mais que Cuidar encontra uma gama completa de produtos e serviços  que dão uma ajuda importante no apoio e no conforto, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade estão sempre disponíveis para ajudar a encontrar as melhores soluções para a sua situação específica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Na Mais que Cuidar poderá contar também com o apoio do médico fisiatra através da consulta ao domicílio ou da teleconsulta.

Referências:

Institute on Aging

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225