Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Como estimular a independência e também dar apoio aos idosos?

Como estimular a independência e ao mesmo tempo dar apoio aos idosos

Um dos aspetos mais difíceis do envelhecimento é a perda da independência que muitos idosos sentem.

Quando começam a perder a sua independência, muitas pessoas idosas experimentam sentimentos de depressão e frustração. Encorajar os idosos a serem independentes pode melhorar a qualidade de vida e as suas capacidades cognitivas, sociais e físicas.

A independência é um elemento crítico do processo de envelhecimento entre os mais velhos. A maioria dos idosos vêem-na como um elemento essencial para manter o seu respeito e dignidade.

Por todas estas razões, a perda desta independência pode levar à depressão, à frustração e a preocupações de saúde aceleradas.

Os cuidadores, podem apoiar os idosos, promovendo ao mesmo tempo a sua autonomia e independência. Contudo, encontrar um equilíbrio é essencial para proporcionar qualidade de vida quer a cuidadores quer aos idosos.

Quando uma pessoa idosa começa a precisar de ajuda nas atividades diárias, há um sentimento generalizado para automaticamente prestar o máximo de assistência possível, com o intuito que estejam seguros, mas é necessário saber gerir as doses certas entre apoio e dar espaço ao idoso.

Como o idoso está a sentir o diminuir das suas capacidades ou porque muda entre dias bons e maus, é essencial encontrar um equilíbrio entre ajudar muito ou pouco.

Contudo, quando uma pessoa mais velha começa a perder a sua capacidade de ser totalmente independente, isto não significa que o seu desejo de ser independente tenha diminuído.

Nestas circunstâncias, a independência é um equilíbrio entre aceitar ajuda e ser apoiado para fazer as coisas de forma autónoma, assegurando ao mesmo tempo uma boa comunicação entre a pessoa idosa e aqueles que cuidam dela.

Qual é a importância da independência para os idosos?

Manter a independência beneficia as pessoas mais velhas de muitas maneiras. Pode ajudar a sua saúde física e mental, aumentar a sua confiança e autoestima e melhorar o seu sentido de propósito e qualidade de vida.

Pode ajudar os idosos a sentirem-se úteis, o que é especialmente importante se tenderem a temer que sejam um fardo para os familiares.

Dar a alguém a independência para fazer uma coisa pode aumentar a sua confiança que se pode espalhar para outras áreas da vida.

Por exemplo, incutir a confiança nos idosos para irem sozinhos cortar o cabelo pode torná-los mais conscientes das suas próprias capacidades, e significa que também podem começar a fazer outras coisas de forma independente. 

Como promover a independência do idoso?

Há muitas maneiras de promover a independência, o que terá de ser ajustado de acordo com as capacidades da pessoa, que podem sofrer alterações com o tempo.

Por vezes, as pequenas coisas podem ter muito significado. Por exemplo, incentivar a escolha das suas refeições e atividades, ou ao ir dar um passeio, puderem escolher o percurso.

Ao cuidar de um idoso, é muito fácil adquirir o hábito de fazer coisas por ele. Muitas vezes é até mais pratico, mas devemos esta nem sempre é a melhor maneira de ajudar.

Pode demorar mais tempo para o idoso realizar uma tarefa por si próprio, como arrumar as compras, por exemplo.

Mas, ainda pode ser importante que o idoso o faça sem ajuda. Em momentos específicos em que precisam realmente de ajuda, talvez seja mais produtivo sugerir fazer a tarefa com eles e não para eles.

Mas promover a independência não significa apenas deixar gerir as tarefas físicas. É importante dar aos idosos o maior contributo e controlo possível sobre as suas vidas e as decisões que os afetam. Isto inclui a sua agenda, onde vivem, como passam o seu tempo e as suas finanças.

É importante não só promover a independência, mas também ajudar o idoso a manter o nível de independência que tem.

Ajudar a manter a independência implica também dar as ferramentas de que os idosos necessitam para assegurar que podem continuar a fazer as coisas de forma independente quando não está lá ninguém para ajudar.

Este processo pode envolver outro tipo de situações como providenciar transporte para irem a consultas médicas ou organizar os cuidados domiciliários.

Formas de prestar apoio encorajando ao mesmo tempo a independência dos idosos

Este pode ser uma tarefa difícil de equilibrar, mas com alguma organização e planeamento é possível encontrar formas de o fazer.

Falar e planear em conjunto

Antes que o idoso precise de ajuda, é aconselhável ter uma conversa sobre como as suas capacidades podem mudar.

Descobrir como gostariam de ser apoiados e quando precisam de ajuda física ou cognitiva. Encarar o futuro com realismo e a preparação para as mudanças inevitáveis irá ajudar todos os envolvidos.

Com o tempo, as capacidades físicas e mentais dos idosos podem mudar. Muitas pessoas não gostam de admitir quando precisam de ajuda, ou nem sequer sabem que precisam.

Encorajar conversas desde cedo para aprender como a pessoa idosa deseja ser apoiada quando a sua saúde requer assistência física ou cognitiva.

Adotar uma postura aberta, realista, verificar com frequência e estar presente, permite saber os níveis de apoio de que os idosos necessitam e com o que se sentem confortáveis.

Não oferecer ajuda demasiado depressa

É possível que o idoso precise de ajuda uma ou duas vezes e dar a impressão que precisam sempre de ajuda, mas este pode não ser sempre o caso.

Antes de oferecer ajuda para assumir o controlo, recuar e observar o comportamento e confirmar as preocupações sobre isto com terceiros, para garantir que a ajuda é mesmo necessária.

Foco nas capacidades e no que podem fazer

Continuar a fazer o maior número de atividades e tarefas de forma tão independente quanto possível ajuda os idosos a manter as capacidades e aumenta a autoestima.

O objetivo é orientar os idosos para tarefas que são capazes de fazer ou adaptar atividades de forma a torna-las mais fáceis para que possam ser realizadas sem esforço extra.

Por exemplo, sugerir ajuda com por a mesa para as refeições, mas escolher apenas uma das tarefas como colocar os pratos na mesa.

Ou em alternativa, se cozinhar uma refeição for demasiado complexo para o idoso, poderá ser sugerida ajuda na preparação dos alimentos ou que façam companhia e testem o sabor da comida.

Encarar a ajuda como algo capacitante e que permite fazer mais

Relembrar ao idoso que o objetivo principal da assistência é permitir-lhe fazer o que deseja da forma mais segura e independente possível. Reforçando a ideia de que o idoso será capaz de fazer muito mais do que faria sem qualquer tipo de ajuda.

Incentivar a colaboração nas tarefas diárias

Incentivar o idoso a ajudar a realizar certas tarefas domésticas, tais como dobrar a roupa e ajudar a pôr a mesa para o jantar. Se as atividades envolverem muitos passos que possam sobrecarregar, pode ser sugerido que façam apenas companhia.

Encorajar a atividade física e o exercício

O exercício físico apropriado é bom para a mente e para o corpo. Pode ajudar a melhorar a vida dos idosos, particularmente os que sofrem de demência, doença de Alzheimer e Parkinson.

Também promove a força e o equilíbrio, o que pode reduzir o risco de queda. O exercício em conjunto é uma excelente atividade com muitos benefícios quer para a saúde cognitiva quer para a saúde em geral.

Uso da tecnologia

O desenvolvimento tecnológico está continuamente a fornecer novos e úteis recursos para idosos e pessoas com deficiência.

A Amazon, Google e Microsoft, entre outros, oferecem dispositivos domésticos ativados por voz que são úteis para os idosos que têm problemas de visão e movimento.

Estes dispositivos podem alertar para quedas e emergências médicas, dar lembretes de medicação e facilitar visitas virtuais à família e ao médico. Também podem facultar música, histórias e a ligar luzes e sistemas de aquecimento ou arrefecimento.

Fazer modificações de segurança em casa

Os pisos escorregadios e as escadas estão entre os perigos que se tornam cada vez mais perigosos com a idade.

O medo de cair pode ter sérios efeitos sobre a independência de um idoso. Considerar a instalação de dispositivos de assistência, tais como barras de apoio, elevadores de escadas, cadeiras de duche e rampas.

Devem também fixar-se tapetes e abrir caminhos por toda a casa para ajudar a evitar quedas.

As quedas são uma séria preocupação para os mais velhos. O medo de cair, especialmente se o idoso já caiu antes, pode trazer preocupações com o caminhar, tomar banho e fazer tarefas diárias de forma independente.

Fazer modificações de segurança em casa pode manter o idoso a salvo e encorajá-lo a fazer coisas sem assistência. Os elevadores de escadas, utensílios de cozinha modificados e rampas podem tornar mais fácil e seguro para os idosos viverem em casa.

Utilizar uma scooter de mobilidade

Os idosos que utilizam cadeiras de rodas sentem-se muitas vezes isolados quando não podem sair de casa sozinhos.

As scooters de mobilidade permitem aos idosos envelhecerem em segurança, encontrarem-se com os amigos e percorrerem pequenas distâncias a partir das suas casas sozinhos.

É importante verificar se é necessário ter um seguro de saúde ativo que possa cobrir a maior parte ou a totalidade do custo de um dispositivo de mobilidade.

Organizar tempo para atividades sociais

É muito importante para os idosos passarem tempo com a família e amigos à medida que envelhecem, e é comum que os idosos fiquem isolados e deprimidos à medida que perdem a sua independência.

A organização do tempo para diversas atividades sociais pode ajudar a pessoa idosa a sentir-se independente à medida que mantém as relações sociais ativas.

Verificar com os membros da família a possibilidade de organizar visitas regulares a casa dos idosos, chamadas pela internet ou através do telefone e até o envio de cartas ou postais.

Verificar as atividades que existem na comunidade e nos centros de idosos locais e encorajar o idoso a frequentar uma aula ou a participar numa atividade que gosta, como resolver puzzles, artesanato, cozinhar ou dançar.

Para muitas famílias, os cuidados domiciliários podem ser uma boa solução quando os idosos precisam de companhia e socialização algumas horas por semana ou precisam apenas de uma pequena assistência nas tarefas domésticas diárias.

O mais importante é ajudar os idosos a manter a sua independência enquanto vivem no conforto do lar.

Proporcionar escolhas

Os idosos têm as suas próprias opiniões e preferências. Encorajar as pessoas idosas a expressar estas opiniões, fazendo as suas próprias escolhas, deve ser tido em conta.

Por exemplo, oferecer várias opções sobre o que comer, vestir e o que fazer todos os dias, permitindo que o idoso escolha o que achar mais adequado para si.

Este processo, ajuda o idoso a manter a sua independência, permanecendo dentro de limites razoáveis e saudáveis.

Manter o estado de espírito alegre

À medida que os idosos envelhecem, é comum que os cuidadores familiares façam uma mudança, no sentido de fazer coisas por eles. Mas, isto não deve incluir um estado de espírito pesado e demasiado solene.

Ajudar para permitir também as escolhas do idoso pode fazer com que se sinta menos um fardo e mais independente e ao mesmo tempo mais alegre.

Promover o movimento

Um dos problemas mais graves que acontecem com a perda de mobilidade é que causa atrofia muscular, tornando o movimento ainda mais limitado e diminuindo a independência dos idosos.

Falar com o médico do idoso e determinar que exercícios são mais adequados para ele e encorajar o idoso a dedicar tempo a mover-se todos os dias para aumentar a força muscular e óssea, aumentando a mobilidade e a independência ao longo do tempo.

Conclusão

Permanecer em casa está no centro da visão da independência de muitas pessoas.

Apenas uma pequena minoria de idosos está feliz com a perspetiva de se mudar para um lar de idosos, não só porque uma mudança significativa como esta pode ser bastante angustiante, mas também porque estão relutantes em deixar para trás os seus pertences e memórias.

No entanto, existem muitas soluções destinadas a ajudar os idosos a permanecerem independentes no seu próprio ambiente familiar.

Pelo que não deve ser necessário que o idoso enfrente a agitação de se mudar para um lar, mesmo que as suas necessidades de cuidados sejam bastante complexas.

Os idosos passam por significativas mudanças de vida quando começam a receber cuidados e apoio em casa. Continuarão a querer ser independentes e muitos não gostam de depender de outros para realizar tarefas específicas.

Esta atitude é perfeitamente natural. Na verdade, estas pessoas fizeram todas estas tarefas em algum momento da vida, como a limpeza da casa, lavar a roupa e a preparação de refeições de forma independente durante muito tempo nas suas vidas.

Pode ser um desafio muito grande para as pessoas idosas aceitarem que precisam de ajuda nesta fase da vida para realizar estas atividades simples.

Contudo, há várias estratégias que podem ser implementadas para ajudar os mais velhos a serem tão independentes quanto possível, enquanto ainda recebem os cuidados de que necessitam.

Manter a independência promove uma sensação de realização que gera uma grande dose de autoestima e bem-estar entre os idosos.

É sempre preferível aplicar uma abordagem holística centrada no cuidado interativo em casa que ajuda a assegurar que os idosos envelhecem de forma tão independente, feliz e segura quanto possível.

Outro fator importante é assegurar de envolver com o idoso em todas as decisões que dizem respeito a si e à sua situação especifica.

Pedir a sua opinião sobre várias questões e trata-los como habitualmente ao mesmo tempo que são ajudados a sentirem-se incluídos na sua vida quotidiana.

Construir uma comunicação aberta e transparente entre os idosos e cuidador é também essencial para identificar melhor as coisas que o idoso não pode fazer e com as quais precisa de ajuda.

Muitas vezes, as pessoas mais velhas podem sentir-se embaraçadas e não pedem ajuda, por isso deve-se assegurar de que estão em posição de identificar estas situações e podem pedir à pessoa de referência para oferecer ajuda em conformidade.

Os idosos podem enfrentar uma variedade de desafios à medida que envelhecem, muitos dos quais podem ser atenuados com a ajuda de cuidadores profissionais em casa que prestam cuidados de alta qualidade para ajudar os idosos a envelhecerem em segurança e confortavelmente.

É importante lembrar que o idoso pode não se sentir velho, pelo que a necessidade de ter apoio extra pode ser desconfortável para o idoso no início.

A implementação de algumas estratégias irá ajudar a facilitar o processo e a perceber que podem continuar a ter independência enquanto recebem os cuidados de que necessitam.

Juntos Cuidamos Melhor!

Na Mais que Cuidar encontra uma gama completa de produtos e serviços  que dão uma ajuda importante no apoio e no conforto, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade estão sempre disponíveis para ajudar a encontrar as melhores soluções para a sua situação específica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Na Mais que Cuidar poderá contar também com o apoio do médico fisiatra através da consulta ao domicílio ou da teleconsulta.

Referências:

  • Seniores Helpers
  • Organização Mundial de Saúde

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Chamada para rede fixa nacional
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Chamada para rede fixa nacional
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Chamada para rede fixa nacional
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Chamada para rede fixa nacional
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
Chamada para rede fixa nacional