Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Quais são as doenças oculares comuns que podem causar cegueira nos idosos?

Quais são as doenças oculares comuns que podem causar cegueira nos idosos?

O avançar da idade, por vezes, traz mudanças que enfraquecem a visão e os olhos, mas é necessário ter uma atitude de vigilância e cuidado para manter os olhos a funcionar saudavelmente ao longo da vida e a saúde em geral.

Diferentes estratégias podem ser adotadas à medida que envelhecemos para manter a saúde dos olhos.

Usar luzes mais brilhantes em casa para ajudar a prevenir acidentes causados por uma visão enfraquecida ou consultar o médico mais frequentemente para rastrear doenças oculares relacionadas com a idade, pode ajudar.

Se não forem detetados e tratados atempadamente, os problemas de visão nos idosos podem levar à perda parcial ou total da visão. De facto, as estatísticas revelam que 65% das pessoas com deficiência visual e 82% das pessoas cegas têm mais de 50 anos de idade.

Os problemas de visão começam lentamente e são normalmente indolores. Devido a isto podem ser difíceis de detetar nos olhos envelhecidos.

Por outro lado, os problemas de visão também podem causar frequentemente mudanças de comportamento, que indicam geralmente os primeiros sinais de problemas de visão.

Desta forma, se o idoso começar a agir de forma diferente, pode ser uma indicação para fazer uma verificação da visão e saúde ocular por um oftalmologista.

Algumas indicações podem ser evitar ler ou sentar muito perto da televisão, misturar medicamentos ou alimentos enlatados que têm rótulos semelhantes, ou tropeçar em coisas que estão mesmo à frente.

Perceber como a visão do idoso pode ser afetada ajuda a identificar sinais de aviso e a aumentar a eficácia de um eventual tratamento precoce.

Doenças oculares mais comuns nos idosos

A deteção precoce e o tratamento das doenças oculares permitem prevenir a cegueira. A realização regular de exames oftalmológicos abrangentes é um fator essencial para manter os olhos envelhecidos saudáveis.

As doenças oftalmológicas mais comuns, quando detetadas e tratadas precocemente podem salvar a visão. Não sendo aconselhável esperar até que já tenha ocorrido uma perda significativa da visão.

Se o idoso apresentar algum destes sinais de alterações ou problemas de visão, por mais pequenos que sejam, devem ir ao oftalmologista o mais rapidamente possível.

Degeneração macular relacionada com a idade

A degeneração macular diminui a visão de uma forma dramática, afetando a visão central. 

Embora as pessoas com a doença raramente fiquem completamente cegas por causa disso, muitas têm dificuldade em ler, conduzir e desempenhar outras funções diárias. Esta condição afeta a mácula, uma área no centro da retina que é responsável pela visão central e focalizada.

Nas fases iniciais, normalmente não há sintomas percetíveis na visão. Ao longo do tempo a visão central acabará por aparecer ondulada ou desfocada e em casos avançados pode desaparecer completamente.

No entanto, a visão periférica geralmente permanece intacta porque o resto da retina ainda é saudável. Mesmo com alguma visão restante, ainda pode ser difícil para quem tem a doença detetar detalhes e algumas cores.

A degeneração macular é considerado uma doença ocular incurável, mas existem alguns tratamentos que podem ajudar a retardar a sua progressão.

As pessoas com degeneração macular podem ser tratadas com cirurgia a laser e injeções de medicamentos. Os dispositivos de acuidade visual são úteis para manter um estilo de vida ativo e independente, apesar das alterações visuais.

A idade é o maior fator de risco para o desenvolvimento desta doença. Estima-se que uma percentagem considerável de pessoas com 40 anos ou mais têm algum grau de degeneração macular.

A história familiar, etnia, tensão arterial elevada e tabagismo são outros fatores de risco.

A doença causa danos na parte da retina que nos permite ver em frente, causando uma perda de visão lenta e indolor e constitui a principal causa de perda de visão e cegueira em muitas pessoas com 65 anos ou mais.

Sinais da doença:

  • Áreas sombrias no centro da visão
  • Não ver as coisas mesmo que estejam à frente
  • Visão anormalmente difusa ou distorcida

Os tratamentos podem melhorar a visão ou atrasar a perda progressiva da visão central, mas não existe uma cura completa para a degeneração macular.

Cataratas

As cataratas fazem com que a visão se torne turva ou nebulosa. Uma catarata é uma turvação da lente transparente do olho.

A lente é composta por água e proteínas, mas se as proteínas se aglomerarem, pode começar a obscurecer a transmissão da luz através da lente.

Se a catarata piorar e começar a afetar gravemente a visão, poderá ser necessária uma cirurgia para remover a lente nublada e substituí-la por uma nova.

As pessoas com cataratas queixam-se frequentemente de brilho, visão nublada, visão dupla num olho ou halos em volta das luzes. A cirurgia é a única forma de corrigir a perda de visão causada por cataratas.

O envelhecimento é um fator de risco importante para as cataratas e as mulheres correm um risco ligeiramente mais elevado do que os homens.

As pessoas que fumam, as que não protegem os seus olhos do sol e têm uma história familiar de cataratas são mais propensas a desenvolvê-las também.

As cataratas muitas vezes começam gradualmente e, no início, causam alterações de visão pouco percetíveis, no entanto, é a causa mais comum da perda de visão em pessoas com mais de 40 anos de idade.

Sinais que indicam a presença de cataratas:

  • Ter mais dificuldade em ver os ponteiros do relógio ou em ler
  • Visão desfocada

Os tratamentos para cataratas podem desenvolver-se por fases. Numa fase inicial podem aplicar-se óculos com lentes mais fortes, lupas ou uma melhor iluminação.

Nas etapas posteriores da doença, a cirurgia simples, rápida e quase indolor, pode ser a melhor solução.

Doença ocular diabética ou retinopatia diabética

Esta perturbação da visão que pode causar cegueira, é uma complicação da diabetes. A diabetes causa alterações anormais nos vasos sanguíneos da retina, provocando fugas e crescimento onde não deveriam.

Estes novos vasos tendem a partir-se e a sangrar. Ao recuperarem, os vasos sanguíneos danificados contraem-se e descolam a retina.

Os sintomas de retinopatia diabética incluem sombras ou objetos escuros que parecem flutuar através do campo de visão, visão desfocada ou distorcida, perda parcial da visão e dor no olho.

Glicemia elevada e tensão arterial elevada, de forma consistente, estão associadas à retinopatia. Os diabéticos do tipo 2 que utilizam alguns medicamentos para gerir o açúcar no sangue podem estar em maior risco de problemas.

Não há cura para a retinopatia diabética. No entanto, o tratamento com laser ou fotocoagulação, é geralmente muito eficaz na prevenção da perda de visão se for feito antes de a retina ter sido gravemente danificada.

A remoção cirúrgica do gel vítreo, também pode ajudar a melhorar a visão se a doença for apanhada suficientemente cedo.

Sinais de retinopatia diabética:

  • Não ver coisas que deveriam ser óbvias e que estão à frente
  • Quanto mais tempo alguém tiver diabetes, maior é a probabilidade de contrair retinopatia diabética

A eficácia dos tratamentos vai depender da fase de retinopatia diabética, por causa disto é aconselhável identificar e tratar a doença o mais cedo possível, dado que se já ocorreu alguma perda de visão, nem sempre esta pode ser recuperada.

Glaucoma

O glaucoma ocorre quando a pressão dentro do olho é elevada, o que pode danificar o nervo ótico e resultar em perda de visão e cegueira.

Normalmente não há sintomas iniciais, pelo que uma grande quantidade de pessoas podem ter glaucoma sem se aperceberem disso. Esta doença é também uma das principais causas de cegueira.

No início, o glaucoma não produz sintomas óbvios. No entanto, à medida que a doença progride, uma pessoa com glaucoma pode notar a visão periférica a falhar gradualmente. Pode também ocorrer um agravamento com visão em túnel, se a doença não for tratada.

Existem muitos tipos diferentes de medicamentos, em forma de gotas e comprimidos, que são usados para tratar o glaucoma.

Em algumas pessoas, contudo, os medicamentos por si só não controlam com sucesso o aumento da pressão ocular e a cirurgia é a única solução.

Um tipo de cirurgia utiliza um laser para melhorar o fluxo de fluidos para fora do olho, reduzindo assim a pressão. Isto pode ser feito no consultório do médico.

Há também outro tipo de cirurgia, a cirurgia convencional, na qual o médico cria uma nova via de drenagem no olho, sob a pálpebra.

Os fatores de risco para o glaucoma incluem a idade, história familiar de glaucoma, o uso de medicamentos com esteroides e a miopia.

O glaucoma é assim, um conjunto de perturbações oculares que danificam o nervo ótico, o nervo que transporta a informação do olho para o cérebro.

A maioria dos tipos de glaucoma não causa dor e não apresenta sintomas até que ocorra uma perda significativa da visão.

Sinais da presença de glaucoma:

  • Não poder ver as coisas na visão periférica

Um exame oftalmológico de rotina deteta o glaucoma cedo, medindo a pressão dentro do olho.

Os tratamentos para o glaucoma incluem gotas oftalmológicas medicamentosas para manter a pressão ocular baixa. É importante usar os colírios prescritos pelo médico porque, caso contrário, pode de facto levar à cegueira.

Outros problemas oculares

Além das doenças oculares existem também outros problemas relacionados com a idade avançada e que afetam especialmente os olhos.

Estes são alguns dos problemas mais comuns:

Síndrome do olho seco

A síndrome do olho seco é o resultado de uma falta crónica de humidade suficiente, como óleo, água ou muco, na superfície do olho. Esta falta de humidade e lubrificação é frequentemente o resultado de vários fatores:

  • Produção insuficiente de lágrimas
  • Má qualidade do rasgão

As causas e sintomas subjacentes da síndrome do olho seco podem variar. Os sintomas mais comuns são os seguintes:

  • Sensação de queimadura
  • Sensação de areia nos olhos
  • Olhos doloridos
  • Visão desfocada
  • Olhos lacrimejantes devido ao excesso de lágrimas

As opções de gestão e tratamento ocular do olho seco incluem colírios que proporcionam alívio, medicamentos para reduzir a inflamação, alterações dietéticas, higiene das pálpebras e outros procedimentos em consultório médico.

Visão diminuida

As pessoas com sintomas de doença ocular devido ao avanço da idade têm mais probabilidades de ter menor acuidade visual.

Esta situação torna as tarefas diárias difíceis e desafiantes porque mesmo usando óculos, lentes de contacto e medicamentos não podem reduzir os efeitos de uma menor acuidade visual.

As pessoas com reduzida acuidade visual ou baixa visão, podem ter uma melhor qualidade de vida e trabalhar em segurança com opções de reabilitação como, por exemplo:

  • Uso de óculos específicos
  • Lentes aumentadas nos óculos
  • Lupas de mão
  • Lupas digitais de secretária
  • Telescópios biópticos
  • Software com funções de conversão de texto em fala e ampliação

Testes oftalmológicos específicos para os idosos

As doenças oftalmológicas relacionadas com a idade são diagnosticadas através de um exame realizado por um oftalmologista.

Um exame oftalmológico abrangente deve incluir pelo menos os três testes seguintes:

Teste de acuidade visual

O conhecido gráfico oftalmológico com letras mede o quão bem se vê a várias distâncias.

Dilatação da pupila

As gotas são colocadas no olho para alargar a pupila. Isto permite ao médico ver mais da retina e procurar sinais de doença. Após o exame, a visão ao perto pode permanecer desfocada durante várias horas.

Tonometria

Este exame determina a pressão de fluido dentro do olho e existem muitos métodos para o fazer. Um teste de “insuflação de ar” é a forma mais comum de examinar a pressão intraocular elevada.

É um processo indolor no qual um pequeno jato de ar é disparado contra a córnea. Outros testes podem ser necessários para obter leituras mais precisas.

A maioria dos problemas oculares relacionadas com a idade devem ser detetados e tratados precocemente para evitar danos permanentes.

É recomendável fazer um exame oftalmológico abrangente a cada um ou dois anos, dependendo da idade da pessoa e de fatores de risco únicos.

Estes exames oculares são vitais para detetar doenças como o glaucoma e a degeneração macular, que não têm sintomas óbvios nas fases iniciais.

Se o idoso apresentar alterações visíveis na visão, é crucial marcar uma consulta para um exame oftalmológico o mais cedo possível.

Como se pode prevenir problemas oculares relacionados com a idade?

Embora os problemas e doenças oculares fiquem mais prevalentes com a idade, muitos podem ser prevenidos ou corrigidos, mediante algumas estratégias.

Eis alguns exemplos:

Consultar regularmente o médico de família para verificar doenças que possam causar problemas oculares, como a diabetes.

Visitar o oftalmologista ou optometrista todos os anos.

Fazer um exame oftalmológico completo com um oftalmologista é importante porque a maioria das doenças oftalmológicas podem ser tratadas se forem encontradas precocemente.

O oftalmologista pode dilatar ou aumentar as pupilas, colocando gotas nos olhos. O oftalmologista também testará a visão e verificará se existe glaucoma.

Fazer um exame oftalmológico com dilatação das pupilas pelo menos uma vez por ano se houver diabetes ou se a família tiver um historial de doença ocular.

Consultar imediatamente um oftalmologista se houver qualquer perda repentina de visão, visão turva, dor ocular, visão dupla, vermelhidão, inchaço do olho ou da pálpebra, ou descarga proveniente do olho.

Conclusão

A perda de visão entre os idosos é um problema substancial de cuidados de saúde. Aproximadamente uma em cada três pessoas tem alguma forma de doença ocular redutora da visão até aos 65 anos de idade.

As causas mais comuns de perda de visão entre os idosos são a degeneração macular relacionada com a idade, glaucoma, catarata e retinopatia diabética.

A degenerescência macular relacionada com a idade é caracterizada pela perda da visão central. O glaucoma primário de ângulo aberto resulta em danos do nervo ótico e perda do campo visual.

Como este problema ocular pode ser inicialmente assintomática, recomendam-se exames de rastreio regulares para pacientes idosos.

A catarata é uma causa comum de deficiência visual entre os idosos, mas a cirurgia é frequentemente eficaz no restabelecimento da visão.

A retinopatia diabética pode ser observada nos idosos no momento do diagnóstico ou durante os primeiros anos com diabetes. Os doentes devem ser submetidos a exames oftalmológicos com dilatação quando a diabetes é diagnosticada e depois anualmente.

A população idosa está a aumentar rapidamente e a perda de visão é um problema importante de saúde.

Com aproximadamente uma em cada três pessoas idosas a ter alguma forma de doença ocular redutora da visão até aos 65 anos de idade.

A deficiência da visão tem um grande impacto na capacidade de realizar atividades da vida diária e a um aumento do risco de depressão nesta população.

A deficiência visual entre indivíduos idosos assume muitas formas e pode existir em vários graus.

Na maioria dos casos, a pontuação de acuidade visual por si só não é um bom preditor de problemas de visão relacionados com a idade. Um exame oftalmológico abrangente por oftalmologista é crucial para manter os olhos a funcionar ao melhor nível na fase final da vida.

A perda de visão é um acontecimento inevitável com o avançar da idade, mas viver com uma visão mais saudável em idade mais avançada é possível se forem tomadas medidas proactivas para alcançar este objetivo e garantir uma melhor qualidade de vida.

Juntos Cuidamos Melhor!

Na Mais que Cuidar encontra uma gama completa de produtos e serviços  que dão uma ajuda importante no apoio e no conforto, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade estão sempre disponíveis para ajudar a encontrar as melhores soluções para a sua situação específica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Na Mais que Cuidar poderá contar também com o apoio do médico fisiatra através da consulta ao domicílio ou da teleconsulta.

Referências:

  • Agingcare
  • Association of British Dispensing Opticians

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225