idosa com dor articular nas mãos

As dores articulares têm diversas origens patológicas e a dor é o sintoma mais incapacitante e penoso para o doente.

A Sra. Maria, idosa de 65 anos, começou a ter dores nas articulações das mãos. Inicialmente não ligou, pois a dor não era permanente. Começou a preocupar-se quando os pés começaram também a doer e algumas articulações ficaram inchadas. Para além disso começou com febre.

Estas dores dificultam a vida da Sra Maria pois não consegue realizar tarefas como cozinhar ou andar. Quando tem dores fica dependente de familiares para ir às compras, cozinhar e até para cuidar da sua higiene. Tem tendência para ficar mais tempo em repouso, pois sente-se muito cansada e com falta de forças.

Sabe que há casos de Artrite Reumatoide na família e com o agravamento dos sintomas resolve ir ao médico.

Fique a saber o que são as dores articulares, qual pode ser a sua origem e o que podemos fazer para a tratar ou prevenir. Confira!

O que é dor nas articulações?

dor nas articulações do braço

A dor nas articulações, também denominada por dor articular é um desconforto ou dor em uma ou várias articulações do corpo. Esta sensação de desconforto ou dor pode surgir em movimento ou repouso e pode ser impeditiva da realização dos movimentos habituais.

Geralmente surge acompanhada de rigidez articular ou inchaço e pode ocorrer em qualquer articulação do corpo, sendo o joelho uma das articulações mais afetadas.

As articulações, vulgarmente conhecidas por juntas, são estruturas que existem entre dois ou mais ossos. São estruturas complexas que incluem:

  • Cartilagem. Camada lisa e resistente que permite que as peças deslizem entre si, servindo também como amortecedor de choque, evitando o desgaste das extremidades ósseas
  • Membrana sinovial. Produz o líquido sinovial, líquido gelatinoso e transparente que funciona como amortecedor
  • Toda a estrutura articular é complementada com os ligamentos, músculos e tendões que, num trabalho conjunto de força, permite a mobilidade das estruturas ósseas.

Nem todas as articulações são iguais, depende da zona do corpo onde se localizam. Existem articulações que:

  • Permitem o movimento, como por exemplo o joelho ou cotovelo.
  • Permitem parcialmente o movimento, como por exemplo as vértebras da coluna vertebral.
  • Não permitem movimento, como por exemplo as articulações entre os ossos cranianos.

A dor articular surge quando existe uma patologia associada às estruturas da articulação, com origem em diferentes causas, como veremos no decorrer deste artigo.

Quais são os sintomas mais comuns da dor articular?

dor nas articulações sintomas comuns

Habitualmente as pessoas descrevem sensação de desconforto ou dor na articulação, mas também são recorrentes os sintomas de rigidez articular, sensação de queimadura, vermelhidão da articulação, sensação de formigueiro, perda de sensibilidade, diminuição da amplitude articular e inchaço (por acomulação de fluidos no interior da articulação).

Muitos sentem que a articulação está “perra” e que tem qualquer coisa no seu interior.

Num estadio mais avançado, surgem deformações articulares.

Dor nas articulações da mão

dores articulares nas mãos

A dor articular na mão poderá estar associada a uma ou várias articulações. Manifesta-se com dor à mobilidade e diminuição da amplitude de movimentos da articulação afetada. Tem tendência a agravar com o avançar da idade.

Esta dor e a limitação da mobilidade articular tem grande impacto na vida do doente pois reduz a capacidade de realização da atividades da vida diária.

Estão associadas a doenças como a artrose, artrite, artrite reumatoide e lúpus, entre outras patologias.

Dor nas articulações do pulso

dores articulares no pulso

Dor na mobilização da articulação do pulso, podendo a força e amplitude de movimentos estar comprometida. Geralmente associado a patologias como o Síndrome de Túnel Carpo ou tendinites. A dor surge acompanhada de outros sintomas como a sensação de formigueiro ou ardor.

Este tipo de situações estão frequentemente associadas a causas laborais, em que a actividade laboral exige movimentos repetitivos e força proveniente do pulso, como é o caso das cabeleireiras.

Dor na articulação do joelho

dores articulares nos joelhos

A dor no joelho, denominada também por gonalgia, pode ter origem traumática ou de origem patológica em doenças como artrose, artrite reumatóide, lúpus, entre outras.

São os joelhos que suportam todo o peso do corpo pelo que o desgaste desta articulação é marcada com o avançar da idade, em particular nas pessoas com excesso de peso ou que durante a vida usaram o joelho de forma excessiva (como atletas de competição).

Os sintomas mais frequentes são:

  • Dor à mobilização da articulação, como subir uma escada ou caminhar. A dor piora de manhã e após o doente ficar muito tempo na mesma posição.
  • Produção de sons como estalos ou ranger quando se movimenta a articulação.
  • Inchaço da articulação.
  • Alteração da amplitude articular e dificuldade em mover a articulação.

Dor nas articulações dos pés

dores articulares nos pés

Esta dor pode surgir numa articulação única do pé ou em várias, podendo surgir na planta do pé ou em articulações dos dedos.

Pode ter várias origens como o desalinhamento ósseo que destrói a cartilagem das articulações, com origem em doenças como a osteoartrite e artrite reumatóide.

Um outro factor para a dor no pé dá-se, com o avançar da idade, a perda de tecido adiposo na planta do pé que funciona como amortecedor do peso do corpo. Este fenómeno aumenta a sensibilidade à dor assim como expõe as articulações a traumatismos.

Uma das grandes repercussões das dores nos pés é a alteração da forma de andar, com alteração do posicionamento do pé.

Para além da dor geralmente surge inchaço da articulação acompanhado de vermelhidão, com sensação de calor ao toque.

Dor na articulação do cotovelo

dores articulares no cotovelo

Estas dores, denominadas por epicondilite, podem ter origem em movimentos repetidos ao longo dos anos em desportos (como o ténis ou golfe) e/ou durante a vida laboral (movimentos repetidos).

Pode ter várias origens mas a mais frequente é a tendinite e a artrite. Para além da dor, que geralmente irradia para o antebraço e pulso, pode surgir formigueiro nos dedos, inchaço da articulação e dificuldade em mexer a articulação. Se não for tratada pode dar origem a dor crónica, redução da amplitude de movimentos da articulação e deformidade da mesma.

Dor leve

dor intensidade leve nas articulações

O grau da dor depende da evolução da doença.

Inicialmente a dor é pontual e leve, contudo, vai agravando e tornando-se persistente e mais intensa. O doente deve contactar um médico, com o objectivo de diagnosticar a origem da dor e, desde cedo, iniciar o respetivo tratamento. Os processos inflamatórios devem ser controlados com medicação, fisioterapia e exercícios específicos de forma a controlar a progressão da rigidez articular e dor.

Dor crónica

dor crónica nas articulações

Com o evoluir da situação da doença, a dor pode tornar-se permanente, crónica. Neste caso o paciente deve ser encaminhado para consulta da dor, com vista a controlar a dor e controlar aumento da mesma no futuro.

Causas mais comuns para a dor nas articulações

Artrite Reumatóide

artrite reumatóide nas mãos foto

Na artrite reumatoide é o próprio organismo que ataca a articulação, pois trata-se de uma doença autoimune.

Gera-se um processo inflamatório articular, onde surge inchaço, vermelhidão e dor, e leva geralmente à destruição das articulações. Afeta principalmente as mãos e pés mas podem afetar outras articulações como o joelho, ombro, entre outras. Este tipo de doença leva à deformação das articulações.

Descubra o que é, quais são os sintomas e tratamento para a Artrite Reumatoide.

Osteoartrite

artrose osteoartrose osteoartrite nas mãos

A osteoartrite também designada por artrose ou osteoartrose, forma-se quando existe um desgaste da cartilagem da articulação. Neste caso, as extremidades ósseas deixam de deslizar de forma correta, passando um osso a raspar contra o outro osso, causando dor e diminuição dos movimentos da articulação envolvida.

Esta situação surge naturalmente no processo de envelhecimento mas também na sequência de um trauma, entorse ou infecções. Até aos 45 anos a doença manifesta-se mais em indivíduos do sexo masculino, mas a partir dessa idade, passa a ser o sexo feminino onde se encontra maior incidência da doença.

A dor surge na movimentação da articulação mas também em repouso, podendo manter-se por horas após a mobilização articular.

Descubra como as ortóteses podem ajudar no tratamento da artrose ou osteoartrite

Gota

doença gota nos pés dor nas articulações

Na gota úrica, mais conhecida por gota, dá-se a acumulação (nas articulações) de cristais de monourato de sódio. Esta acumulação dá-se pelos níveis elevados de ácido úrico no sangue (hiperuricémia). A presença desta substância na articulação desencadeia um processo inflamatório muito doloroso e incapacitante.

A dor intensa surge geralmente, durante a noite e aumenta quando a articulação é mexida ou tocada.

As primeiras articulações afetadas são as do hálux (dedo grande do pé), com dor intensa, vermelhidão e inchaço articular.

Esta doença é mais comum nos homens do que nas mulheres e está associada à obesidade e consumo de álcool.

É uma doença controlável com medicação e uma dieta pobre em purinas (exemplo: espargos, cogumelos, chocolate, carnes vermelhas e aves, enchidos, fígado, sardinha, marisco, cerveja…).

Descubra o que é, quais são as causas, os sintomas e tratamento para a doença Gota

Tendinite

tendinite dor nas articulações do pulso

A tendinite é a inflamação do tendão, estrutura que une o músculo ao osso, e manifesta-se através de dor e inchaço. Surge com maior frequência nas articulações do pulso, ombro, cotovelo e joelho.

Quando um músculo e o tendão são expostos a movimentos continuamente repetidos podem desenvolver uma inflamação que é dolorosa. A continuidade dos movimentos leva ao aumento gradual da dor que se manifesta inclusive durante os momentos de repouso e à noite.

São frequentes em atletas e profissões de movimentos repetidos como cabeleireiras.

Fibromialgia

fibromialgia dor crónica generalizada nas articulações

Sem causa identificada, a fibromialgia é uma dor crónica generalizada nas articulações, músculos e tendões.

É mais frequente nas mulheres e está associado a alterações do sono, fadiga, dores de cabeça, ansiedade e stress.

Esta doença não tem cura mas é controlada com medicação.

O que é a fibromialgia?

Bursite

bursite dor nas articulações do cotovelo

É uma doença inflamatória da bursa, a bolsa sinovial. Uma vez que a função desta bolsa é absorver/amortecer o impacto provocado pelos movimentos corporais e auxiliar no processo de deslize dos tecidos, esta doença manifesta-se através de dor, vermelhidão e calor na articulação, inchaço e rigidez articular.

É mais comum em articulações que fazem movimentos repetitivos como o ombro, joelho, cotovelo e calcanhares mas também surge associado à idade avançada, traumas, ou a outras doenças associadas (ex: gota ou diabetes).

A dor pode ser aguda mas tornar-se crónica se não for devidamente tratada.

Como tratar ou prevenir inchaço e dores nas articulações?

dor nas articulações como prevenir

Quando uma doença articular se instala, existem boas práticas para ajudar a manter a mobilidade articular assim como atrasar o agravamento da doença, tais como:

Prática regular de exercícios físicos de baixo impacto

exercícios de baixo impacto para dor na articulação

A prática de exercício físico de baixo impacto é fundamental para a saúde articular assim como das suas estruturas. Fortalece os músculos, ajuda a evitar o excesso de peso, aumenta a mobilidade articular e ajuda a manter o equilíbrio do corpo .

Em situação de articulações com enrijecimento, a mobilização através do exercício físico permite trabalhar a flexibilidade articular, melhorando o seu estado.

O exercício físico também é fundamental para uma boa postura pois fortalece os músculos abdominais e das costas.

Exemplo de exercícios de baixo impacto é o pilates, hidroginástica, natação ou caminhada.

Contudo, durante todo o dia, é importante a realização de movimentos com as pernas e braços, de forma autónoma.

Fazer alongamentos de forma adequada

alongamento para dor na articulação

O exercício físico e os alongamentos ajudam a fortalecer as articulações e a melhorar a toda esta estrutura.

É importante a prática do exercício físico assim como alongar após este. Muitas pessoas desvalorizam a importância do alongamento. Contudo, esta prática é de extrema importância, quer após o exercício físico como durante o dia, em pequenos momentos de pausa onde se pode fazer pequenos movimentos de alongamento. podem ser feitos a qualquer hora do dia, na posição de sentado, deitado ou em pé.

Manter uma boa postura

boa postura para dor na articulação

Uma boa postura evita futuras lesões ou dores articulares.

Esta postura adequada deve estar presente durante todos os momentos da vida, no desporto, na caminhada, na condução, no trabalho…

Na posição de sentada encostar as costas contra a cadeira evitando curvar a coluna para a frente. Ombros ligeiramente para trás. Apoiar os pés no chão e evitar cruzar as pernas.

A dormir, evite dormir de barriga para baixo e opte por posições laterais.

A caminhar optar por calçado confortável para que peso do corpo seja distribuído por todo o pé. Se a pessoa estiver parada em pé, o apoio deve ser feito nos dois pés. A coluna deve estar direita, evitar as mãos nos bolsos pois esta prática implica que a coluna esteja numa posição curvada.

Carregar pesos deve ser feito com apoio nos dois ombros, de forma a distribuir o peso pela coluna. Quando só usada a carga num ombro dá-se um desequilíbrio no corpo pois apenas um ombro e um lado da anca são puxados para baixo.

Ao olhar para o telemóvel, colocá-lo à frente dos olhos, evitando uma curvatura excessiva do pescoço.

No caso da prática do desporto, este não deve incluir movimentos incorretos ou de sobrecarga ao corpo. Deve ser acompanhado por técnico credenciado na área desportiva e adequado à idade, sexo, estatura e condição física de cada indivíduo.

A importância da fisioterapia e da massagem

fisioterapia e massagem para dores nas articulações

Para além do exercício físico, a massagem ajuda a relaxar os músculos e articulações, melhora a circulação e metabolismo articular, proporcionando um alívio da dor.

Esta massagem pode ser feita pelo próprio indivíduo assim como por um familiar ou profissional como um massagista ou fisioterapeuta.

A fisioterapia pode utilizar várias técnicas para apoiar e melhorar o funcionamento articular. Terapias como os ultra-sons, eletroterapia, tratamentos com calor/frio pretendem estimular a circulação e reduzir a inflamação local.

Combater o sedentarismo

combater sedentarismo para dor nas articulações

O sedentarismo conduz ao excesso de peso, perda de massa muscular e pouca utilização articular. Está provado que pessoas que passam muitas horas sentadas apresentam propensão a dores articulares. Por isso, é importante não ficar longos períodos de tempo sentado.

É fundamental fazer pequenas pausas regulares em que se possa alongar e levantar. Quanto mais as articulações são usadas mais eficientes se tornam. Para além disso, pessoas que se movimentam e alongam têm músculos mais alongados, o que é um fator de proteção contra futuras doenças neuromusculares.

Alimentação adequada

alimentação saudável para dor na articulação

Para manter as articulações saudáveis e evitar dores é fundamental uma dieta saudável e equilibrada.

Caso haja dor articular, existem alimentos com propriedades anti-inflamatórias que podem contribuir para controle da dor articular. Estes alimentos são:

  • Amêndoas, amendoins, nozes, semente de chia, vegetais de folha, azeite de oliveira, brócolos, espinafres e rúcula, gema de ovo, alimentos ricos em vitamina E (com a sua característica antioxidante).
  • Peixe como a sardinha, cavala, salmão, atum pelo poder dos ácidos gordos Ómega 3. Também as sementes de chia apresentam Ómega 3 assim como magnésio e cálcio.
  • Gengibre, corcuma e amaranto, com caracteristicas antinflamatorias. Açafrão com o seu poder antioxidante e anti-inflamatório.
  • Laranjas, romã e maçãs.
  • Frutas como a cereja e o damasco, ricos em magnésio (mineral associado às dores e contrações musculares).
  • Iogurtes por serem ricos em bactérias (probióticas) que ajudam a diminuir o inchaço e sensibilidade nas articulações.
  • Chá verde, com o seu poder anti-inflamatório e protetor da cartilagem e do colagénio.
  • Proteínas magras de forma a promover uma adequada massa muscular e restauro das estruturas articulares: ovo, aves, carne magra, peixe
  • Alimentos ricos em Vitamina B pois a falta desta vitamina está associada a degeneração das articulações: farelo de aveia, semetes de girassol, banana, ameixa, cogumelos, avelã, entre outros.
  • Cebola, alho e pimenta – excelentes antioxidantes e alimentos ricos em vitamina C.

Alimentos que devem ser consumidos em menor quantidade ou mesmo evitados por quem sofre de dores nas articulações:

  • Café, pode aumentar a dor articular.
  • Sal e açúcar refinado pois pode aumentam a dor.
  • Álcool, em particular se este for associado a tabaco ou medicação.
  • Gorduras saturadas como as que se encontram em produtos industrializados e processados.
  • Carnes vermelhas.
  • Pimento, tomate, beringela que favorecem a inflamação e piora a dor.
  • Trigo e derivados. Muitas pessoas são intolerantes a este cereal que, segundo alguns estudos, contém elevado índice glicémico e podem intensificar a dor por inflamação, assim como favorece o desenvolvimento de doenças autoimunes.

Controle de peso

controle de peso para dor nas articulações

Excesso de peso significa que as articulações têm sobrecarga de pressão, potenciando o risco de futuras patologias.

Na maior parte dos casos, o excesso de peso está ligado a hábitos alimentares errados, sedentarismo e falta de exercício físico. Uma vez que a estrutura muscular não é fortalecida, acaba por sobrecarregar a carga articular, piorando a sua situação.

Uma pessoa com excesso de peso tem alterações na sua postura e na forma de andar, conduzindo a um esforço inadequado das articulações e dor.

É fundamental o controle do peso para uma adequada saúde do sistema neuromuscular assim como, no alívio dos sintomas causados por excesso de peso, como a dor.

Deixar de fumar

cigarro risco dor na articulação

Vários estudos mostram que fumar ajuda a diminuir a massa óssea e consequente enfraquecimento das articulações.

Para além disso, o tabaco desencadeia um processo inflamatório no organismo prejudicando o tratamento da doença articular, podendo mesmo estimular a inflamação.

Estudo recentes mostram que o tabaco está associado ao aumento de risco para doenças como a artrite reumatoide, entre outras.

Calçado confortável

calçado confortável para dor na articulação

Como já referido, ao caminhar o pé deve estar bem assente o chão, de forma a haver uma adequada distribuição do peso do corpo.

O uso de sapatos de salto alto concentra o peso do corpo na ponta do pé e dedos, sendo um potenciador de dores crónicas nessa região, por excesso de compressão e desgaste articular.

Este tipo de sapato também é responsável por alteração da forma de como se caminha, pois o corpo necessita de se reposicionar para encontrar novo ponto de equilíbrio, sobrecarregando em pontos errados as articulações de todo o corpo, em particular dos joelhos, tornozelos e pés. Pela mesma razão não devem ser utilizados sapatos apertados ou muito largos.

Usar ortóteses conforme orientação médica

ortóteses para dor nas articulações

No momento em que a dor está presente, existem ortóteses que podem ajudar no controle da dor e evitar a deformidade articular, uma vez que estabilizam a articulação e impedem o uso inadequado da mesma.

Dependendo da sua finalidade também podem corrigir deformidades e melhorar o funcionamento de uma parte do organismo. Temos por exemplo de ortótese os óculos, joelheiras, palmilhas, entre outros.

Ou seja, as ortóteses podem ser de utilização provisória ou definitiva, e têm como objectivo alinhar, prevenir, corrigir deformidades ou melhorar a funcionalidade das partes imobilizadas.

Sendo assim, existem variados tipos de ortóteses, adequadas a cada patologia e seus sintomas. A escolha deve ser feita por um profissional de saúde conhecedor da patologia e anatomia humana.

Este tipo de terapia implica a complementaridade com a terapia medicamentosa e a fisioterapia.

Existem ortóteses para os:

  • Membros superiores – com a finalidade de controlar a dor em diferentes situações patológicas, como na fase após uma cirurgia ou fase aguda de uma doença.
  • Tronco – com a finalidade de manter a postura correta. Utilizado em situações de traumatismos/lesões da coluna ou em necessidade de corrigir deformidades
  • Membros inferiores – com a finalidade de estabilizar a articulação. São ortóteses longas que permitem imobilizar a articulação. Também existem as que permitem a flexibilidade da articulações permitindo alguma funcionalidade articular.

 

Existem ainda os auxiliares de marcha como a bengala, muleta axilar, canadianas e andarilho. Estes dispositivos auxiliam a marcha do dente que não pode exercer a carga completa do corpo nos membros inferiores ou quando há desequilíbrio na marcha

Remédios para dor nas articulações

medicamentos para dor nas articulações

Quando surge a dor articular e esta se mantém para mais de uma semana (assim como outros sintomas como o inchaço e vermelhidão), o doente deve ser observado por um médico da especialidade, que é o caso do reumatologista.

Existem várias abordagens de tratamento perante a dor nas articulações. Todas elas devem ser aconselhadas pelo médico assistente, tendo em consideração a situação clínica que o doente apresenta.

Abordagem medicamentosa:

medicação para dor na articulação

Medicação analgésica:

Para controlo da dor leve a moderada e febre. Medicamentos como o Paracetamol.

Medicação anti-inflamatória:

Para controle da inflamação e dor. A medicação com anti-inflamatórios não esteroides têm uma utilização limitada no tempo pois provocam dores de estômago, lesões no fígado e rins, entre outros sintomas. Entre estes medicamentos encontra-se o Ipobrufeno, Diclofenac, Naproxeno.

Opióides:

Este tipo de medicamento está indicado para dores fortes. Contudo, existe o risco de dependência física, assim como tem efeitos colaterais bem marcados como a obstipação intestinal, náuseas e sonolência. São medicamentos como o Tramadol, Codeína, Morfina.

Corticoides:

Indicado em dor associada a inflamação crónica. Medicação como a Prednisolona.

É comum o médico prescrever uma associação de medicamentos potencializando o efeito terapêutico.

É fundamental que o doente siga sempre as indicações médicas e as indicações da bula. NUNCA se deve automedicar. O doente deve respeitar as dosagens prescritas e não deve suspender a medicação sem indicação médica para tal.

Pomadas

pomada para dor nas articulações

São medicamentos de aplicação tópica, anti-inflamatórios ou analgésicos, que ajudam na redução da dor e inflamação. Muitas vezes, reduzem a necessidade de medicação oral. Temos o caso de pomadas como o Voltaren e Reumon.

Bolsa térmica: quente ou fria

bolsa térmica para dor na articulação foto

Aplicação de frio ou calor numa situação de agudização depende da patologia que se pretende tratar.

O frio é aplicado com o objectivo de de contrair os vasos sanguíneos e diminuir o inchaço local. Tem caracteristca como analgésico e anti-inflamatório.

O calor tem a finalidade contrária, dilata os vasos sanguíneos, melhorando a função muscular e elasticidade dos tecidos locais, melhorando a amplitude funcional da articulação.

Quer o frio como o calor ajudam no relaxamento muscular, atuando de forma diferente, em doenças diferentes.

O frio é aconselhado em situações agudas (exemplo de lesão desportiva, tendinites, ou quando há inchaço e vermelhidão articular), enquanto que o calor em situações crónicas (como em artroses e artrite).

Outras terapias

massagem para dor nas articulações

Há doentes que optam por complementar o tratamento médico com tratamento caseiro com vista a acelerar a recuperação. Para além de optarem por um estilo de vida saudável onde incluem um alimentação equilibrada e variada e exercício físico, apostam no relaxamento muscular através das massagens com óleos essenciais como o gengibre ou manjericão (óleos com características anti- inflamatórias).

Muitos doentes recorrem a técnicas alternativas como a acupuntura, para alívio da dor, ou medicação de suplementação. Esta última com o objectivo de reforçar as cartilagens e articulações e manter a elasticidade e lubrificação destas estruturas (glucosamina e condroitina).

Como fazer o diagnóstico?

dor nas articulações diagnóstico

Existem perguntas que o médico fará para conseguir definir a origem da dor articular. O histórico familiar e da saúde do indivíduo deverá estar bem presente no momento da consulta pois é determinante no diagnóstico.

É importante que o doente, no momento da consulta, consiga definir corretamente o local dos sintomas e características dos mesmos (intensidade, duração, frequência…) de forma a facilitar o diagnóstico. Poderão surgir questões como:

  • Houve lesão de alguma articulação?
  • Teve recentemente doente ou febre?
  • Em que parte da articulação há dor, de um lado ou de ambos?
  • Descansar a articulação reduz ou aumenta a dor?
  • A dor é pontual ou permanente?
  • As articulações ficam rígidas de manhã?
  • Consegue mexer a articulação normalmente?
  • Existem mais sintomas para além da dor?
  • É a primeira vez que esta situação está a acontecer?

Exames

exames para dor na articulação

Após o exame físico do doente o médico solicita a realização de exames auxiliares de diagnóstico como testes laboratoriais (exames ao sangue) e radiografia. Em algumas situações clínicas é solicitado uma Tomografia Axial Computorizada (TAC) ou Ressonância Magnética.

Cuidados especiais com idosos

dor na articulação em idosos cuidados

Nas pessoas idosas, as dores articulares são causadas principalmente por artroses. Esta doença é altamente incapacitante no que respeita à realização das atividades do dia a dia, pois provoca dor, perda de força, diminuição da sensibilidade e diminuição da amplitude articular.

Pretende-se que o idoso mantenha a sua rotina diária, evitando o sedentarismo e a dependência de familiares e amigos. Como já referido, é fundamental a prática de exercícios físicos passivos ou ativos e uma alimentação adequada, de forma a controlar a rigidez articular e a reincidência de processos inflamatórios que aceleram o desgaste articular e diminuem a sua funcionalidade.

Existem muitos produtos de apoio e ajudas técnicas para melhorar o dia a dia de uma pessoa com limitações da amplitude articular ou dor:

No caso da articulação da mão, dedos e pulso, tornam-se difíceis atividades como atar um atacador, fechar uma camisa com botões, escrever e até mesmo agarrar em talheres.

Existem variadas ortóteses que ajudam em situações como esta como:

  • Talheres adaptados
  • Abotoador de botões

Quando existe compromisso da amplitude ou dor no ombro ou anca, surge dificuldade na higiene das costas e pés e de se vestir. Também nestes casos, existem produtos de apoio que permitem que o idoso mantenha a sua independência:

idosa com bengala para dores articulares

Muitas dos casos de artrose são nos joelhos, dificultando a movimentação. É comum a dificuldade em sentar-se e levantar-se ou mesmo caminhar pelo que existem produtos de apoio que ajudam a diminuir a carga articular, controlar a dor e ajudar no equilíbrio como:

Entenda como a bengala pode ajudar no tratamento da artrose

Quando as artroses se localizam nos pés, é importante o uso de palmilha protetora de forma a almofadar as estruturas articulares e ósseas na planta do pé, o que contribuirá para uma diminuição significativa da dor e maior conforto.

Em situações em que as dores articulares causam grandes limitações físicas que impedem o doente de satisfazer as suas necessidades de vida diária, como por exemplo, a higiene pessoal, o vestir, o andar, fazer as refeições, limpar e arrumar a casa, pode ser indicado temporariamente, o suporte de um serviço de apoio domiciliário.

Conclusão

idoso com bengala por dor na articulação

É fundamental determinar a origem da dor articular para se poder tratar de forma adequada e prevenir futuras complicações como a deformidade articular ou a dor crónica.

É muito importante que o doente adquira um estilo de vida saudável, onde a alimentação adequada, exercício físico e controlo do peso têm um peso fundamental.

Como já referido, o exercício físico é de extrema importância nesta faixa etária pois:

  • Ajuda a trabalhar o equilíbrio, prevenindo quedas.
  • Aumenta a densidade óssea diminuindo risco de fraturas.
  • Melhora a função cognitiva.
  • Melhora a funcionalidade geral do organismo, incluindo das articulações.

Contudo, muitas das vezes é útil o apoio de um fisioterapeuta com o objectivo de trabalhar toda a estrutura articular onde os músculos, tendões e ligamentos têm um papel fundamental. Este trabalho pode passar por massagem, aplicação de frio/calor, entre outras técnicas.

Em casa, o doente também pode fazer fortalecimento muscular dos braços e das pernas, quando indicado pelo profissional de saúde, utilizando pedaleiras especiais que são simples e fáceis de usar na posição de sentado.

Mesmo com um adequado acompanhamento médico, é fundamental para uma recuperação mais rápida, redução da dor e diminuição da carga articular, o recurso a ortóteses como talas, joelheiras, cintas ou palmilhas. 

Os auxiliadores de marcha (bengalas, muletas, canadianas, andarilhos) são imprescindíveis para reduzir o sofrimento destes doentes, apoiando a marcha e diminuindo o impacto mecânico nas articulações.

Para doentes que necessitem de deslocar-se de forma autónoma e segura, em longas distâncias, pode ser indicado a utilização de uma scooter elétrica de mobilidade ou uma cadeira de rodas elétrica.

Também podem ser feitas algumas adaptações no domicílio do doente, como:

Em doentes obesos ou com pouca mobilidade, para ajudar a levantar da cama ou a fazer a transferência da cama para uma cadeira ou poltrona, pode ser indicado a utilização de um elevador elétrico de transferência.

O objectivo será sempre melhorar a qualidade de vida do doente com dor e limitação articular, estimulando a sua independência e autonomia.

Deixar comentário

O seu email não será publicado.