Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Inchaço das pernas: O que fazer?

Inchaço das pernas: o que fazer?

O envelhecimento causa muitas alterações corporais. A maioria das funções biológicas relacionadas com a idade atingem o auge antes dos 30 anos e declinam gradualmente de forma linear a partir daí, mas geralmente tem pouco ou nenhum efeito nas atividades diárias.

Neste sentido são as perturbações ao processo de envelhecimento, e não o envelhecimento em si, que são a causa primária da perda funcional durante a velhice.

Em muitos casos, os declínios que ocorrem na fase mais tardia da vida podem ser devidos, pelo menos em parte, ao estilo de vida, comportamento, dieta e ambiente, podendo assim ser modificados.

Por exemplo, o exercício aeróbico pode prevenir ou inverter parcialmente um declínio na capacidade máxima de exercício, relacionada com o consumo de oxigénio por unidade de tempo, força muscular e tolerância à glicose em pessoas idosas saudáveis, mas sedentárias.

O inchaço nas pernas, também conhecido como edema das extremidades inferiores, é um problema que muitas vezes afeta a população mais velha.

Esta situação pode ser incómoda, mas não necessariamente perigosa. Contudo, em algumas situações, o inchaço nos pés, tornozelos ou das pernas pode ser sinal de um novo problema de saúde, ou de um agravamento de uma doença crónica.

Por outro lado, mesmo que não seja uma situação de saúde grave, o inchaço das pernas pode ser um importante fator de risco de rutura cutânea e mobilidade reduzida nos idosos.

Uma vez que o inchaço das pernas se torna tão comum à medida que as pessoas envelhecem, importa perceber porque acontece e como se pode lidar com esta situação de forma a garantir um melhor bem-estar para as pessoas mais velhas.

Como e porque acontece o inchaço?

Geralmente as pessoas notam que há inchaço dos pés ou pernas, quando os sapatos estão demasiado apertados, ou quando surgem marcas nos tornozelos por causa das meias.

O inchaço acontece quando o fluido se move para fora dos vasos sanguíneos e para os espaços intersticiais do corpo.

Estes espaços também são designados por espaço extravascular, que significa espaço fora dos vasos sanguíneos, e consiste no espaço húmido entre células, órgãos e outras partes do corpo.

Embora os vasos sanguíneos possam parecer impermeáveis, na verdade são uma membrana semipermeável, feita de células dos vasos sanguíneos que normalmente se mantêm próximas e é normal que pequenas quantidades de fluido passem circulem dentro e fora.

Se passar mais fluido do que o habitual para fora dos vasos sanguíneos e esta situação acontecer nas pernas ou perto da superfície do corpo, surge uma zona inchada sob a pele.

O fluido pode mover-se para os espaços intersticiais e causar inchaço por diferentes razões. As causas mais comuns são:

Vasos sanguíneos com fugas

Por vezes as células dos vasos sanguíneos não se juntam tão bem como deveriam. Isto pode permitir que moléculas fluidas deslizem através das ligações entre as células dos vasos sanguíneos, tal como as fendas entre os tijolos de uma parede.

Esta situação pode acontecer devido a infeções ou inflamações graves, ou outro tipo de doenças.

Baixos níveis de proteínas no sangue

As proteínas, como a albumina, ajudam a manter o fluido dentro dos vasos sanguíneos. As moléculas de proteínas no sangue exercem uma pressão que ajuda a reter o fluido no interior de um vaso sanguíneo.

Se os níveis de proteína caírem no vaso sanguíneo, mesmo que a membrana do vaso sanguíneo esteja intacta, o fluido move-se para fora da veia ou artéria para equalizar a pressão através da membrana e isto cria o inchaço.

Algumas causas de baixos níveis de albumina no sangue incluem certos tipos de doenças dos rins, doenças do fígado e desnutrição.

Sobrecarga de fluidos

Se houver mais fluido do que o habitual no vaso sanguíneo, este fica sobrecarregado. O fluido extra acabará então por ser empurrado através da parede do vaso sanguíneo.

Normalmente, os rins regulam os níveis de fluido corporal, ajustando a quantidade de água e sal que é excretada ou retida. Mas se esses mecanismos falharem ou forem sobrecarregados, o resultado é muitas vezes um inchaço.

Quais são as causas mais comuns de inchaço nas pernas

Na maioria das vezes, a causa mais comum para o inchaço nas pernas é a insuficiência venosa crónica, mas existem outras causas que não devem ser excluídas:

Insuficiência venosa crónica

Esta é a causa em cerca de 70% das pessoas mais velhas com inchaço nas pernas.

As veias são os vasos sanguíneos que devolvem o sangue ao coração para que este possa ser bombeado para os pulmões e ser oxigenado.

As veias não têm músculos nos seus revestimentos como as artérias têm e por isso, dependem de um sistema de válvulas para evitar que o sangue flua para trás.

Com o tempo, estas válvulas tornam-se menos eficazes e o sangue pode ficar nas veias mais tempo do que o necessário, este processo é considerado como uma insuficiência venosa.

Quando a insuficiência venosa se torna crónica, isto pode causar varizes ou inchaço, devido a haver fluido a mais nas veias.

A insuficiência venosa pode também acabar por causar flebite, que é a inflamação das veias, ulceração da pele e também, por vezes, celulite, que são infeções cutâneas.

Este problema nas veias é comum, afetando cerca de 7 milhões de pessoas em todo o mundo e fazendo com que 3 milhões desenvolvam úlceras venosas, o tipo mais comum de úlceras na perna.

Os fatores de risco para a insuficiência venosa incluem:

  • Idade avançada
  • História na família
  • Estar na mesma posição de forma prolongada
  • Obesidade
  • Consumo de tabaco
  • Sedentarismo
  • Trauma ou lesão nas pernas ou pés
  • Trombose venosa anterior, quando se formam coágulos de sangue nas veias

O inchaço das pernas é algo com que muitas pessoas vivem como doença crónica e muitas vezes não tem cura.

Insuficiência cardíaca congestiva

A insuficiência cardíaca congestiva é a causa mais comum para o inchaço generalizado e pode afetar as pernas, abdómen e a parte inferior das costas, ou até mesmo a parte superior do corpo. Mas, é uma das principais causas de edema das pernas.

Insuficiência cardíaca é um termo usado para descrever quando o músculo cardíaco está enfraquecido e não bomba o sangue tão eficazmente como deveria.

Com a doença há geralmente congestão de fluidos nas veias, mas quando é uma doença e ocorre durante algum tempo, pode reduzir o fluxo sanguíneo para os rins e estes reagem provocando a retenção de sal e fluido no corpo.

O tratamento envolve frequentemente medicamentos diuréticos para aliviar os sintomas.

A dosagem de diuréticos deve frequentemente ser gerida cuidadosamente para minimizar os potenciais efeitos secundários da baixa pressão arterial, esgotamento do potássio no corpo, desidratação e possível lesão renal.

As pessoas são normalmente aconselhadas a restringir a sua ingestão diária de líquidos e sal, a pesarem-se frequentemente e a ajustar a dose diária de diuréticos em função do seu peso.

Inchaço das pernas devido a medicação

Alguns medicamentos podem causar ou agravar o inchaço das pernas. Na maioria dos casos, os medicamentos aumentam a retenção de líquidos e sal, causando inchaço.

Alguns medicamentos que podem causar inchaço das pernas incluem:

  • Medicamentos para a hipertensão
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
  • Bloqueadores Beta
  • Hormonas
  • Corticosteroides
  • Estrogénio
  • Progesterona
  • Testosterona
  • Anti-inflamatórios não esteroides, incluindo os analgésicos de venda livre

Um inchaço novo ou agravado da perna deve sempre ser avaliado pelo médico, para garantir que o inchaço não é devido a um efeito secundário da medicação.

Doenças hepáticas

Na cirrose hepática, pode ocorrer inchaço nas pernas que se pode estender até à barriga.

O fígado é onde o corpo produz albumina, um componente importante das proteínas no sangue, mas na cirrose, o fígado danificado já não consegue manter uma produção adequada de albumina e outras proteínas importantes.

Os baixos níveis de proteínas do sangue resultantes significam que o fluido irá vazar para os espaços intersticiais, o que pode causar edema e também um inchaço notório da barriga.

Os diuréticos podem ser utilizados para ajudar as pessoas com cirrose e por vezes faz-se uma drenagem do inchaço abdominal.

Doença dos rins

Uma condição renal chamada síndrome nefrótica está associada a uma fuga de proteínas para a urina. Isto pode causar inchaço nas pernas e em qualquer outra parte do corpo.

Sobrecarga dos vasos linfáticos

Embora a maioria dos fluidos do corpo circule através dos vasos sanguíneos, o corpo também tem uma rede de vasos linfáticos, que se ligam aos gânglios linfáticos e movimentam o fluido e as células do sistema imunitário através do corpo.

Um inchaço pode ocorrer causado pela sobrecarga de fluido nos vasos linfáticos e não nas veias. Quando há demasiado fluido para o sistema linfático drenar, ou não há capacidade suficiente nos canais linfáticos, o resultado é um inchaço.

Esta situação está mais frequentemente associada a um historial de cancro ou cirurgia dos gânglios linfáticos e normalmente afeta um membro, em vez de ambos.

70% dos sobreviventes do cancro da próstata e da mama sofrem deste tipo de inchaço nas pernas, bem como 80% das pessoas com obesidade grave.

Este tipo de inchaço é tratado elevando ao máximo a perna, com a utilização de meias de compressão, com a aplicação de massagens descongestionantes ou com microcirurgia para melhorar o sistema linfático.

Como avaliar o inchaço nas pernas?

Assim que é notado um inchaço novo ou o agravamento de um inchaço já existente na perna, é importante informar o médico, para que possa ser avaliado.

O médico vai verificar se não existe um problema potencialmente grave, como uma doença que envolva o coração, rim ou fígado, para poder mais facilmente determinar o que está a causar o inchaço da perna.

Além da avaliação física pelo médico é necessário também verificar o historial completo de saúde da pessoa afetada, para saber se já teve cancro, foi exposta a radiação ou cirurgia à pélvis ou pernas e qualquer outro problema de saúde relacionado com o coração, fígado ou rins.

Os sinais evidentes de que é necessária uma avaliação urgente pelo médico, incluem:

Sintomas respiratórios

Falta de ar, tosse e dificuldade para respirar na posição deitada pode ser indicador de algum problema pulmonar, como inchaço nos pulmões. Se além disso a pessoa também tiver inchaço nas pernas, a ajuda médica deve ser procurada o mais rápido possível.

Inchaço apenas numa perna

A maior parte das causas de inchaço provoca o aparecimento do inchaço nas duas pernas. Se apenas uma das pernas estiver inchada, poderá ser causado por outros fatores como:

Um coágulo de sangue

Normalmente causa danos limitados na perna, mas pode romper-se e viajar para o pulmão causando doença grave ou mesmo a morte.

Infeção

Bloqueio relacionado com um tumor.

Dores nas pernas

Na maioria das vezes, o inchaço devido à insuficiência venosa é indolor, embora algumas pessoas experimentem um desconforto semelhante a um cansaço doloroso.

A dor forte ou significativa não deve ser ignorada. Em particular, uma dor forte repentina nas pernas ou no peito é razão para procurar ajuda médica de imediato.

O médico verificará a existência fugas, pressionando suavemente a zona inchada. A perfuração ocorre quando a pressão sobre a zona inchada deixa uma pequena depressão durante alguns segundos a minutos.

Um exame físico das pernas é essencial, para verificar se existem varizes, descoloração da pele, úlceras ou quebras na pele e secura da pele. 

Se as pernas parecem ser diferentes umas das outras em tamanho, o médico pode medir ambos os membros para ver se existe uma verdadeira assimetria.

Outra parte importante é fazer um exame ao coração e aos pulmões. Para que o médico verifique os sons da respiração e a pressão sanguínea.

Os médicos também examinam frequentemente a barriga, para sentir o fígado e também para se certificarem de que não veem sinais de inchaço fora das pernas.

Alguns dos exames médicos que podem ser necessário são análises à urina ou sangue e à função hepática.

E ainda uma radiografia ao tórax para procurar um coração aumentado ou líquido nos pulmões ou um ecocardiograma, para analisar as câmaras cardíacas e a capacidade de contração dos músculos.

Pode também ser feito um teste de sangue que pode ajudar a detetar um coágulo sanguíneo e uma ecografia doppler da perna, que pode encontrar uma trombose venosa profunda, que é uma causa comum de inchaço numa perna.

Como é tratado o inchaço das pernas?

Na maioria das vezes, o inchaço das pernas numa pessoa mais velha é causado por insuficiência venosa crónica, um problema de saúde em que as veias das pernas não fazem um trabalho adequado para devolver sangue ao coração.

Muitas vezes os medicamentos diuréticos são receitados para o inchaço das pernas, mas estes medicamentos, nem sempre podem ajudar, possivelmente porque não resolvem a fraqueza das válvulas nas veias e a sobrecarga de fluidos locais.

Além disso, os diuréticos quando receitados aos idosos podem facilmente causar efeitos secundários como desidratação, baixa tensão arterial, baixos níveis de potássio e prisão de ventre.

Também aumentam a vontade de urinar, o que pode causar ou piorar os problemas de incontinência urinária.

Assim, antes de iniciar um tratamento com diuréticos, será melhor investigar primeiro qual é a causa do inchaço na perna e considerar aplicar primeiro algumas estratégias como:

Elevar as pernas

Elevar as pernas ao nível do coração pelo menos durante 30 minutos 3 ou 4 vezes por dia. Este hábito utiliza a gravidade para ajudar as veias a drenar o sangue dos membros inferiores para regressar ao coração para circulação.

Utilização de meias

Meias de compressão com baixa pressão estão facilmente disponíveis e não são muito difíceis de colocar e de vestir.

As meias têm uma pressão mais alta no tornozelo que reduz gradualmente quanto mais alto for a perna.

As pessoas com um inchaço nas pernas de moderado a grave podem precisar de ser especialmente medidas e equipadas com meias de compressão, o que pode exigir uma receita médica.

Reduzir a ingestão de sal

O sal pode agravar o inchaço ao promover a retenção de líquidos. A diminuição da ingestão de sal pode também reduzir o risco de tensão arterial elevada. Evitar colocar muito sal na comida e evitar os alimentos processados.

Exercitar os músculos das pernas

Caminhar e bombear os músculos da barriga das pernas é recomendado para reduzir os sintomas da insuficiência venosa crónica e acelerar a cura de úlceras.

Cuidados com a pele

O cuidado com a pele pode não ajudar a travar o inchaço nas pernas, mas é um passo importante para prevenir úlceras, ou feridas na pele, que podem ocorrer como uma complicação da insuficiência venosa.

Cuidados com úlceras na pele

As úlceras nas pernas e nos pés podem tornar-se crónicas e difíceis de tratar. Qualquer tratamento tópico ou procedimentos cirúrgicos que possam ajudar na cura das feridas nas pernas, são importantes.

Quando o inchaço é provocado por uma doença, o plano de tratamento terá em conta o problema subjacente, quer seja insuficiência cardíaca, um efeito secundário da medicação, um problema renal ou uma doença hepática.

Outras estratégias para combater as pernas inchadas

Além de prevenir as doenças que possam causar o inchaço nas pernas, existem outras estratégias complementares que poder ser uma grande ajuda.

Fazer exercícios com as pernas

Exercitar os músculos das pernas ajuda o sangue a circular nas veias. Evitar ficar muito tempo de pé ou na posição sentada, especialmente com as pernas cruzadas.

Se não for possível evitar tempos prolongados nestas posições, deve-se fazer uma pequena caminhada ou fazer movimentos circulares com os pés.

Praticar desporto

A prática regular de exercício físico ajuda à circulação do sangue nas veias.

No entanto, os exercícios que implicam a execução de movimentos bruscos, como o ténis ou basquetebol não são aconselhados, porque provocam variações na pressão do sangue nas veias, causando a dilatação dos vasos e uma menor circulação do sangue até ao coração.

A ginástica, ciclismo, dança, natação ou as caminhadas, são opções mais favoráveis para as pernas. A contração dos músculos das pernas, provocada pela atividade física, favorece a subida do sangue até ao coração.

Evitar o calor

O calor favorece a dilatação das veias, diminuindo a circulação sanguínea. Assim a exposição ao calor não é recomendada, quer seja o calor do sol, depilação a cera quente, banhos quentes, sauna e vestuário muito quente.

Procurar locais frescos

O frio provoca a contração das veias e é um bom aliado na prevenção de problemas venosas e do inchaço. Duches de água fria nas pernas ou caminhadas à beira-mar são atividades que ativam a funcionalidade das veias e que aliviam a sensação de peso e dor nas pernas.

Evitar prisão de ventre e peso a mais

A prisão de ventre e o excesso de peso podem fazer aumentar a pressão sanguínea nas veias e consequente inchaço. O melhor é optar por uma alimentação com mais vegetais e um maior consumo de água, para manter a hidratação.

Usar vestuário apropriado

As roupas apertadas comprimem as veias e bloqueiam a circulação do sangue nas pernas. O vestuário deve ser confortável largo, evitando as peças de roupa mais apertadas ou justas.

Usar sapatos apropriados

O tipo de sapatos usados pode contribuir para a diminuição da circulação de sangue nos pés e nas pernas. Devem ser usados sapatos adequados idealmente com 3 a 4 centímetros de altura.

Melhorar a circulação do sangue a dormir

Para melhorar a circulação do sangue, podem fazer-se movimentos semelhantes a pedalar uma bicicleta antes de dormir. A elevação das pernas a cerca de 10 a 15 centímetros de altura, enquanto se dorme também é benéfica.

Fazer massagens frequentes às pernas

Fazer massagens de baixo para cima nas pernas frequentemente melhora a circulação do sangue para o coração e ajuda a diminuir o inchaço.

Conclusão

É importante ter em mente que o inchaço dos membros inferiores é comum nas pessoas mais velhas e a causa mais comum, em cerca de 70% dos casos, o problema deve-se à insuficiência venosa crónica.

No entanto, outras causas graves que também podem causar inchaço nas pernas incluem doenças como insuficiência cardíaca congestiva, doença renal, e doença hepática.

Daí a importância de fazer tratamentos para estas doenças primeiro, por isso irá resolver o problema do inchaço.

Mas, para gerir quer a insuficiência venosa, quer as outras doenças, é importante fazer alterações no estilo de vida, como fazer exercício físico com as pernas, reduzir a ingestão de sal e elevar as pernas, são tudo medidas essenciais para travar o inchaço.

Nos casos em que o inchaço não é tratado pode resultar em complicações mais graves como feridas na pele, úlceras, infeções e redução da mobilidade e qualidade de vida.

Nestas circunstâncias poderá ser necessário requerer a ajuda de um profissional de saúde, como um enfermeiro ou o apoio domiciliário, de forma mais permanente.

Também nunca é demais lembrar que os medicamentos diuréticos devem ser usados de forma cautelosa porque podem causar efeitos secundários graves como a desidratação, problemas com o nível de potássio no corpo, incontinência urinária e alterações na tensão arterial.

No fundo, o objetivo principal do tratamento é gerir os sintomas e prevenir outros problemas, como úlceras e desconforto. A maioria dos idosos pode tratar o inchaço das pernas com algumas estratégias e manter as suas atividades habituais e a sua qualidade de vida.

Todos sabemos que o envelhecimento provoca rugas e cabelos brancos, mas na maior parte das vezes os primeiros sinais que a velhice está a chegar envolvem o sistema músculo-esquelético.

O inchaço nas pernas é uma das consequências do envelhecimento que está normalmente associado a outras doenças. Tratar essas doenças é importante para garantir o bem-estar e mais conforto para as pessoas afetadas.

Juntos Cuidamos Melhor!

Na Mais que Cuidar encontra uma gama completa de produtos e serviços  que dão uma ajuda importante no apoio e no conforto, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade estão sempre disponíveis para ajudar a encontrar as melhores soluções para a sua situação específica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Na Mais que Cuidar poderá contar também com o apoio do médico fisiatra através da consulta ao domicílio ou da teleconsulta.

Referências:

  • Sociedade Portuguesa de Angiologia e Cirurgia Vascular
  • Fundação Portuguesa de Cardiologia

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225