Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Tosse: quais os tipos, causas e tratamento

Tosse adulto

A tosse é um reflexo que nos ajuda a eliminar agentes irritantes e infeções do nosso organismo, como muco ou fumo. Contudo, quando se torna persistente pode ser irritante – para nós e para os que nos rodeiam – perturbando o sono, o trabalho e outras atividades do dia a dia.

Nos tempos atuais em que vivemos num momento conturbado pela pandemia, a tosse seca é um dos sintomas mais comuns da COVID-19 para além da febre e do cansaço.

A maior parte dos casos de tosse é causado por uma constipação ou por gripe. Contudo, sobretudo nos casos de tosse persistente, poderão estar envolvidas outras causas que abordaremos mais adiante.

Regra geral, um episódio de tosse não complicada, acaba por se resolver em pouco tempo, mas há sinais que o devem levar a procurar ajuda médica especializada.

Continue connosco e descubra quais os tipos de tosse que existem e quais os tratamentos neste artigo que elaborámos para si.

O que é Tosse?

O que é tosse

A tosse pode ser um movimento voluntário ou um reflexo do aparelho respiratório em reação a uma irritação de partes do aparelho respiratório, como a laringe, traqueia ou brônquios.

Funciona como um mecanismo protetor, facilitando a remoção de partículas estranhas ou secreções e consiste na expiração de ar de uma forma mais ou menos forte.

A tosse é também um sintoma de algumas doenças e pode servir de veículo de transmissão através da expulsão de gotículas.

Quais os tipos de tosse?

Tipos de tosse

Pode apresentar diferentes tipologias de acordo com a sua duração e a produção de secreções que apresenta.

Tosse seca

Não produz secreção e não apresenta o som típico associado à tosse, embora cause muito incómodo.

Tosse produtiva

Neste tipo de tosse há produção de muco e este é expelido. O muco atua como barreira de proteção nas vias respiratórias contra os vírus, bactérias ou outros micro-organismos.

Tosse aguda

Tem um início repentino e decorre sobretudo em resultado de uma gripe, constipação ou sinusite, neste sentido tem uma duração curta, podendo ir até às 3 semanas.

Tosse alérgica

É um tipo de tosse seca e persistente que irrompe cada vez que se dá um contacto com uma substância alergénica. É mais comum na primavera e no outono.

Tosse convulsa

É uma doença infeciosa causada por uma bactéria que ataca a traqueia e os brônquios e que causa tosse. A doença transmite-se por gotículas expelidas durante a tosse ou os espirros. Afeta sobretudo bebés e crianças.

Tosse crónica

Este tipo de tosse necessita de uma avaliação médica e dura por um período maior de tempo. Está associada a doenças como asma e refluxo gastroesofágico. Pode ocorrer também em pessoas que consomem tabaco.

Tosse da Covid-19

Um dos sintomas da Covid-19 é a tosse seca, que associada a febre e cansaço contribui para o diagnóstico da doença.

Tosse nervosa

Também conhecida como tosse psicossomática, tem uma componente psicológica e afeta mais os indivíduos jovens.

É um tipo particular de tosse que é desencadeada por causas relacionadas com o estado mental do paciente. Neste sentido, não é causada por um problema físico, mas é o sintoma e a somatização de condições emocionais e mentais que geram estados de ansiedade e stresse no indivíduo.

Qual o tratamento para a tosse?

Tratamento da tosse

Tendo em conta que a tosse é sobretudo um sintoma, o tratamento mais adequado será o tratamento que corresponde à causa que a provocou.

Mas, a tosse não deve ser completamente suprimida, dado que tem a função de limpeza das vias respiratórias e ajuda a expelir secreções. Apenas quando apresenta um quadro muito gravoso ou tem impacto no descanso do indivíduo, se deve equacionar a sua supressão.

O melhor tratamento para a tosse é o tratamento do problema subjacente. Por exemplo, antibióticos podem ser usados contra pneumonia e inaladores contendo medicamentos dilatadores das vias aéreas (broncodilatadores) e corticosteroides podem ser usados contra DPOC ou asma.

Medicamentos

Medicamentos para a tosse

Como a tosse pode ter causas diversas, o tratamento medicamentoso também pode variar, de acordo com o diagnóstico médico.

Neste caso, somente um especialista médico pode indicar qual o medicamento mais adequado a cada caso, tal como a dosagem correta e a duração do tratamento. É importante não fazer automedicação.

Em termos gerais há dois grandes tipos de fármacos que são usados no tratamento da tosse:

Antitússicos: atuam no reflexo da tosse diminuindo a sua urgência.

Expetorantes ou mucolíticos: atuam no muco, reduzindo a sua espessura e facilitam a expetoração.

Em casos de alergia podem ser usados anti-histamínicos e nos casos de tosse provocada por outras doenças como a pneumonia, podem ser usados antibióticos, enquanto corticosteróides podem ser usados nos casos de asma ou Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC).

Nos casos das infeções virais como a gripe, por exemplo, coadjuvante ao tratamento fármaco, pode ainda ser recomendado repouso e hidratação.

Remédios caseiros para a tosse

Remédios caseiros para a tosse

Alguns remédios caseiros podem servir de complemento ao tratamento fármaco e ajudar a aliviar os efeitos da tosse.

Chá para a tosse

O chá de gengibre, por exemplo, ajuda a descongestionar os brônquios e a diluir o muco, facilitando a expetoração.

Mel

O mel tem um efeito protetor nas mucosas da garganta, aliviando a irritação provocada pela tosse.

Inalação com eucalipto, pinheiro e hortelã

A inalação com estas plantas ajuda a eliminar o muco mais leve e a diluir o muco mais espesso.

Nebulização

A nebulização ou inalação facilita a eliminação do muco, amolecendo as secreções.

Hidratação

A ingestão de líquidos como água ou chá mantém as mucosas da garganta hidratadas o que leva a um alívio da irritação.

Repouso

Repouso tratamento tosse

O repouso ajuda o organismo a combater a infeção quando esta é a causa da tosse. Por outro lado, a tosse também provoca cansaço e por isso o repouso é uma forma de contribuir para o alívio da tosse.

Lavagem nasal com soro fisiológico

Ajuda a desentupir o nariz e a eliminar as secreções das vias respiratórias.

Dormir com a cabeceira da cama ligeiramente levantada

Ajuda a respirar melhor e a aliviar a tosse seca durante a noite.

Quais as causas da tosse?

Causas da tosse

As causas da tosse são muito variadas. Dado que a tosse é sobretudo um sintoma, está associada a várias doenças. O tipo de tosse também pode ter causas diferentes.

Uma das causas mais frequentes de tosse é a irritação relacionada com um fluxo mucoso ou mucopurulento, usualmente como reação a uma infeção viral.

A tosse é considerada aguda, quando dura menos de 3 semanas, com a duração de entre 3 e 8 semanas é designada por subaguda e crónica, se persiste por mais de 8 semanas.

Causas da Tosse Aguda:

A principal causa de tosse aguda é a infeção viral aguda das vias respiratórias superiores. Também pode resultar de uma sinusite bacteriana, ou do agravamento da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).

Raramente, pode surgir por inalação de um corpo estranho numa criança ou pela passagem de conteúdo bucal para as vias respiratórias. A tosse aguda geralmente é transitória e autolimitada. Estas são as causas principais:

  • Exposição a fatores ambientais, como o fumo do tabaco, pó, partículas, ar poluído ou seco como o ar condicionado.
  • Inalação de tóxicos ou de substâncias químicas irritantes.
  • Infeção das vias respiratórias, através de constipação, gripe, sinusite, laringite, bronquite aguda e pneumonia.
  • Rinite Alérgica.

Causas da Tosse Subaguda:

A tosse subaguda é frequentemente resultado de sinusite bacteriana, asma ou infeção.

Muitas vezes a tosse persiste mesmo depois de já não haver vírus, especialmente se há fatores irritantes, como o tabaco. Algumas infeções produzem defeitos nos cílios da traqueia e brônquios que duram semanas.

Causas da Tosse Crónica:

Outras causas:

Quais os sintomas de tosse?

Sintomas da tosse

A tosse é por si só um sintoma, exceto no caso da tosse convulsa que é uma doença. Pode, no entanto, vir acompanhada de outros sintomas como o nariz entupido, dor de garganta, rouquidão, azia e irritação ou muco na garganta.

Quando a tosse vem acompanhada de outros sintomas mais graves, pode ser um forte indício da necessidade de consultar um médico:

  • Falta de ar: sobretudo se é constante e exige esforço.
  • Presença de sangue: quando a expetoração apresenta vestígios de sangue.
  • Existência de febre: sobretudo se for alta.
  • Dor torácica: a dor no peito resulta das dores nos músculos respiratórios, mas pode indicar a presença de pneumonia ou mesmo fratura das costelas em casos de osteoporose.

Sintomas da Tosse Convulsa

O período normal de incubação da tosse convulsa é de 7 a 10 dias, mas pode apresentar uma variação de 5 a 21 dias. O quadro clínico caracteriza-se habitualmente por três fases:

Na primeira fase, que ocorre entre a primeira e a segunda semana e é designada por fase catarral, os sintomas mais comuns são: inflamação e corrimento nasal, febre baixa e tosse sem produção de secreções.

Na fase seguinte designada por paroxística, existe um agravamento da tosse com momentos de intensidade, que podem ser acompanhados de cianose, em que se apresenta uma coloração azulada da pele e dos lábios e deslocação da língua, que terminam com um guincho inspiratório e vómito. A tosse é mais frequente no período noturno e agrava-se com o choro ou a deglutição.

Na fase final, de convalescença, há uma diminuição progressiva da intensidade e frequência da tosse, desaparecem também o ruído inspiratório e os vómitos. No entanto, pode prolongar-se durante meses com episódios recorrentes de tosse, desencadeados por infeções respiratórias virais.

Quando consultar um médico?

Quando consultar um médico na tosse

Quando existe um quadro de falta de ar, dificuldade para respirar, inchaço no rosto e dificuldade para engolir associados à tosse, é necessário procurar ajuda médica com urgência.

Outras situações que necessitam de assistência médica:

  • História de doença cardíaca
  • Pernas inchadas
  • Contacto com pessoas com tuberculose
  • Presença de tosse em bebés com menos de 3 meses
  • Tosse que persiste por mais de 15 dias
  • Tosse acompanhada de febre
  • Inspiração com som agudo
  • Expetoração espessa e de cor verde com cheiro forte
  • Tosse acompanhada de suores noturnos
  • Tosse muito violenta e repentina

Como é feito o diagnóstico de tosse?

Diagnóstico da tosse

Numa primeira instância, o médico irá avaliar os sinais vitais como a temperatura do corpo, frequência respiratória e tensão arterial.

De seguida examinará o aparelho respiratório procurando por outros sinais:

  • Existência de secreção nasal
  • Estado da orofaringe
  • Existência de pólipos no nariz, rinorréia ou inflamação das fossas nasais
  • Existência de dor à palpação dos seios peri-nasais e maxilares
  • Existência de cerúmen ou otite nos ouvidos
  • Existência de massas palpáveis e adenopatias cervicais na traqueia e pescoço
  • Inspeção ao tórax
  • Auscultação Pulmonar
  • Auscultação Cardíaca

Alguns exames complementares podem ser pedidos pelo médico:

  • Raio X do tórax
  • Pesquisa viral ou cultura de secreções
  • Tomografia do tórax
  • Análises ao sangue
  • Espirometria
  • Ecocardiograma

Tosse tem cura?

Tosse tem cura

Geralmente a tosse mais comum ou aguda desaparece em 3 semanas. No caso da tosse crónica, com uma duração de 8 semanas ou mais, esta pode estar associada a outras doenças, em alguns casos essas doenças podem ter cura ou não.

Quais as complicações possíveis da tosse?

Complicações da tosse

Como a tosse está associada a várias doenças, as complicações são também múltiplas e podem ser categorizadas em complicações agudas ou crónicas.

As complicações agudas podem ser:

  • Desmaio
  • Insónia
  • Exaustão
  • Vómitos
  • Dor no peito
  • Dor de cabeça
  • Tonturas
  • Suores
  • Incontinência urinária
  • Colapso do pulmão
  • Rouquidão
  • Dor musculoesquelética

As complicações crónicas podem ser mais graves:

  •  Costelas partidas por causa do esforço
  •  Lesões de fatiga
  •  Inflamação no tórax
  •  Hérnia abdominal ou pélvica
  • Incontinência urinária e fecal

Como prevenir a tosse?

Prevenir a tosse

A melhor forma de prevenir a tosse é prevenir as doenças que a provocam.

Um conjunto de medidas preventivas podem ser um fator determinante na prevenção da tosse:

  • Reforço do sistema imunitário com uma alimentação e sono saudáveis.
  • Evitar o consumo de tabaco e de bebidas alcoólicas.
  • Evitar ambientes com ar muito seco, caso seja necessário, deverá ser utilizado um humidificador para manter o ar húmido.
  • Manter a distância de pessoas que possam estar infetadas com vírus da gripe ou outros.
  • Não tocar com as mãos sujas nos olhos ou nariz.
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão para evitar a disseminação de vírus e o desenvolvimento de uma infeção respiratória.
  • Tomar anualmente a vacina contra a gripe e a vacina pneumocócica.

Conclusão

Tosse conclusão

A tosse é um dos sintomas mais comuns associados às infeções respiratórias como a gripe ou as constipações, mas pode ser também um indicador ou uma consequência de uma patologia mais grave.

Servindo como um mecanismo de limpeza das vias respiratórias, pode tornar-se igualmente num incómodo físico com impacto no quotidiano dos indivíduos. Por isso, apesar de ser um mecanismo corporal natural, não deve ser negligenciada.

É importante manter uma boa hidratação e reforçar o sistema imunitário com uma alimentação saudável, sobretudo nos meses mais frios, para evitar o aparecimento de infeções virais que são a causa mais comum para o aparecimento da tosse.

Quando a tosse resulta de uma doença e se torna crónica como no caso da asma, o cuidado deve ser redobrado. Esta pode ser uma consequência da exposição a produtos irritantes ou fungos, decorrentes de fatores ocupacionais ou ambientais.

Alguns remédios caseiros como o mel e a infusão de plantas podem ser um excelente complemento ao tratamento fármaco e proporcionar um alívio considerável aos efeitos da tosse.

Na Mais que Cuidar pode encontrar produtos de apoio na área da saúde e terapias respiratórias como os nebulizadores, os aspiradores de secreções e os concentradores de oxigénio assim como serviços de cuidados domiciliários como o serviço de enfermagem 24h/dia.

 Atenção!

A tosse seca é um possível sintoma de COVID-19. Perante o seu aparecimento, contacte a linha SNS24 (808 24 24 24) e siga as indicações que lhe forem dadas.

Referências

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225