Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Fecaloma: o que é, sintomas e tratamento

Fecaloma: o que é, sintomas e tratamento

Falar sobre fezes é muitas vezes algo que causa muito desconforto e por isso é um tema tabu.

Mas quando as coisas correm mal nesse departamento, vale a pena compreender o que está a acontecer e o que fazer para prevenir e tratar os problemas.

Um desses problemas ocorre quando um tampão duro e seco de fezes fica preso no reto e não pode ser evacuado.

Normalmente, as pessoas têm movimentos intestinais a intervalos bastante regulares, e as fezes passam facilmente para fora do corpo sem grande esforço ou desconforto.

Embora a frequência normal dos movimentos intestinais varie de pessoa para pessoa, cerca de 95% dos adultos saudáveis têm um padrão que varia de três vezes por dia a três vezes por semana.

Pessoas com obstipação grave e prolongada, um problema que afeta cerca de 20% dos adultos, podem eventualmente desenvolver um fecaloma.

Não é muito agradável, mas o que acontece essencialmente é que uma massa de fezes secas fica presa e pode acabar por bloquear o cólon em vez de sair do sistema de forma suave e confortável.

Quando se come comida, esta decompõe-se no estômago e passa pelo intestino. Este processo é conhecido como digestão. Depois, as paredes do intestino absorvem os nutrientes dos alimentos.

O que permanece como resíduo passa para o cólon e para o reto.

Por vezes, as coisas podem correr mal neste processo e os resíduos ficam presos no cólon. Isto é conhecido como fecaloma ou impacção fecal do cólon.

Quando se tem um cólon impactado, as fezes ficam secas e não se movem no intestino, tornando impossível excretar as fezes do corpo.

Este é um problema que se pode tornar em algo grave e exige atenção médica para ser resolvido.

O que é o fecaloma?

Um fecaloma é uma massa de fezes impactadas mais frequentemente encontrada no reto e no cólon.

São tipicamente encontradas em doentes idosos frágeis, crianças com malformações anorretais, e como consequência de algumas doenças.

Acontece frequentemente a pessoas que têm prisão de ventre durante muito tempo e é geralmente facilmente tratado usando enemas, laxantes, desimpactação digital e evacuação endoscópica.

A cirurgia é raramente necessária para corrigir esta condição, mas pode ser necessária em casos extremos.

A obstipação crónica e grave pode levar a impacção fecal. O problema ocorre frequentemente em crianças e, especialmente, nas pessoas de idade que vivem em lares de idosos.

De acordo com um artigo publicado em Clinics in Colon and Rectal Surgery, o risco de impacção fecal é maior nos idosos.

O estudo descobriu que 42% dos pacientes numa enfermaria geriátrica tinham o problema. É também comum em doentes com doença de Alzheimer, doença de Parkinson, demência, e AVC grave, bem como em doentes com lesão da medula espinhal.

As crianças podem desenvolver uma impacção fecal quando retêm as fezes na fase em que estão a aprender a ir à casa de banho.

Têm medo de evacuar as fezes devido a dores ou desconforto anteriores, evitam usar a casa de banho porque não querem interromper as suas brincadeiras, ou não bebem líquidos suficientes ou não comem fibras suficientes.

As pessoas mais velhas podem desenvolver obstipação e fecaloma devido ao facto de serem sedentárias.

Se não moverem o corpo, é mais difícil mover o que está dentro do corpo, além disso, os músculos abdominais podem ficar tão fracos que não podem empurrar tudo para fora.

Alguns podem também ser obrigados a segurar as fezes durante longos períodos de tempo porque os cuidadores não os levam regularmente à casa de banho, ou o seu cólon não consegue mover as fezes.

Qual é o tratamento?

Quando se tem fecaloma, será necessário remover a massa dura das fezes do cólon ou do reto para melhorar os sintomas e resolver o problema. Este não irá desaparecer por si só, e pode levar à morte se não for tratado.

O tratamento mais comum para esta situação é um clister, que é um fluido especial que o médico insere no reto para amolecer as fezes.

Um clister frequentemente faz com que o corpo tenha movimentos intestinais, pelo que é possível que a pessoa consiga empurrar para fora a massa das fezes por si própria, já que foram amolecidas pelo clister.

Por vezes, se um clister sozinho não resolver, as fezes devem ser quebradas e removidas à mão.

Uma vez removida a massa dura das fezes, os hábitos intestinais devem voltar ao normal desde que a possibilidade da existência de obstipação seja tratada.

Outro tipo de tratamentos podem ser:

Laxantes

O primeiro método de tratamento é geralmente um laxante oral. Existem muitos laxantes de venda livre que podem ajudar a estimular a desobstrução do cólon.

Por vezes, um supositório receitado pelo médico, um medicamento que é colocado no reto, pode ajudar.

Remoção manual

Se um laxante ou um supositório não desbloquearem as fezes do cólon, o médico poderá remover manualmente as fezes. Para o fazer, introduz o dedo com luvas no reto da pessoa afetada e remove o bloqueio.

Enema

Se o médico não conseguir remover todo o bloqueio, pode usar um irrigador ou seringa para a remoção. utiliza um pequeno frasco cheio de líquido com um tubo. O tubo insere-se no reto.

O médico liberta o líquido para o reto e o cólon. Este processo lubrifica o cólon e humedece as fezes, tornando mais fácil a sua evacuação.

Irrigação com água

A irrigação com água implica empurrar um pequeno tubo de borracha para cima através do reto e para dentro do cólon, um clister.

O tubo liga-se a uma máquina que emite água. Após a irrigação, o médico massaja o abdómen, deslocando os resíduos para fora do reto através de outro tubo.

Uma vez tratado, o fecaloma desaparece rapidamente.

No entanto, uma vez que pode repetir-se, particularmente em pessoas idosas ou sedentárias, além de sugerir mudanças na dieta e no estilo de vida, o médico pode prescrever tratamento com laxantes e ou enemas periódicos.

Causas

O fecaloma tende a ocorrer com mais frequência nos idosos. Outros fatores que podem contribuir para o seu aparecimento incluem uma dieta pobre, e descuidar a necessidade de utilizar a casa de banho por causa de depressão ou outras doenças.

Outras razões que podem levar ao aparecimento de fecaloma são:

  • Escumação de líquidos para beber
  • Comer uma dieta pobre em fibras
  • Ter um historial de obstipação crónica
  • Estar dependente de laxantes para ter movimentos intestinais
  • Tomar medicamentos que reduzem o movimento intestinal, tais como narcóticos analgésicos, antiácidos, suplementos de ferro, ou bloqueadores de canais de cálcio
  • Ter uma doença do intestino grosso e do reto
  • Ter certas outras condições médicas, como uma doença da tiróide ou outra perturbação metabólica, tal como diabetes ou excesso de ureia
  • Ter disfunções do pavimento pélvico

Obstipação

No entanto, a causa principal do surgimento de fecaloma é a obstipação. A obstipação designa a dificuldade de passagem das fezes ou a passagem pouco frequente das fezes.

A obstipação é  frequentemente o resultado de:

  • Efeitos secundários da medicação
  • Ingestão insuficiente de nutrientes
  • Desidratação
  • Falta de fibra
  • Uma doença
  • Frequentes surtos de diarreia
  • Problemas no sistema digestivo
  • Doenças como a diabetes ou problemas na tiróide
  • Uma obstrução do trato intestinal
  • Complicações da cirurgia pélvica ou colorretal
  • Vómitos continuos
  • Uma lesão da medula espinal
  • Stress mental
  • Jet lag

A obstipação é dolorosa, e as pessoas que a têm muitas vezes sentem-se inchadas e desconfortavelmente cheias. Podem também sentir a necessidade de ir à casa de banho, mas não conseguem ir.

Uma vez ocorrido o fecaloma, o cólon não será capaz de remover as fezes do corpo usando o seu processo normal de contração.

Laxantes

As pessoas que usam laxantes demasiadas vezes, podem impedir o corpo de saber quando é altura de ter um movimento intestinal. O corpo terá menos probabilidades de responder ao impulso de ir à casa de banho e as fezes podem acumular-se no cólon ou reto.

Medicamentos

Alguns medicamentos opióides que tratam a dor podem retardar a digestão, tornando as fezes mais suscetíveis de se acumularem no cólon.

Nível de atividade

Se a pessoa não for muito ativa, é mais provável que desenvolva obstipação e tenha fecaloma do que as pessoas que se movimentam durante o dia.

Hábitos de casa de banho

Se a pessoa segurar frequentemente os movimentos intestinais porque não tem acesso a uma casa de banho quando precisa, ou não quer ir quando está num lugar estranho, pode levar a um fecaloma ao longo do tempo.

Sintomas

Se a pessoa tiver alguns destes sintomas e tiver também prisão de ventre deve procurar ajuda médica rapidamente. Muitas pessoas com fecaloma são idosas ou têm outras doenças graves, pelo que este problema pode ser fatal.

Caso haja dificuldade em respirar, um batimento cardíaco rápido ou irregular, ou tonturas ou confusão, é necessário ajuda médica urgente.

Todos os sintomas de fecaloma são graves e incluem:

  • Fezes compactas
  • Desconforto abdominal
  • Inchaço abdominal
  • Dor abdominal
  • Sentir a necessidade de ir à casa de banho
  • Náuseas
  • Vómitos
  • Dor de cabeça
  • Perda de peso inexplicável
  • Falta de apetite

Sintomas mais graves incluem:

  • Ritmo cardíaco acelerado
  • Desidratação
  • Hiperventilação ou respiração rápida
  • Febre
  • Confusão
  • Agitação
  • Incontinência urinária

Muitas vezes, o fecaloma existe depois de um tempo com prisão de ventre. E depois, de repente, podem existir outros sintomas, que incluem:

  • Diarreia muito aquosa que se derrama ou explode
  • Diarreia ou fezes que se libertam quando se tosse ou com riso
  • Náuseas ou vómitos
  • Dor nas costas ou no estômago
  • Desidratação
  • Pouca ou nenhuma urina e nenhuma vontade de urinar
  • Barriga inchada
  • Problemas respiratórios
  • Tensão arterial baixa
  • Tonturas
  • Transpiração
  • Febre
  • Confusão

As complicações da doença incluem:

  • Fissuras na parede do cólon
  • Hemorroidas
  • Hemorragia anal
  • Fissuras anais

É importante prestar atenção ao intestino e visitar um médico se houver suspeitas de algum problema.

Como é feito o diagnóstico?

Quando há a presença de fecaloma ou sintomas persistentes de obstipação que não estão a melhorar, é aconselhável consultar imediatamente o médico.

Para fazer o diagnóstico, o médico faz um exame físico, que inclui um exame do abdómen para confirmar o diagnóstico da doença.

O exame implica uma pressão sobre o abdómen para sentir quaisquer massas ou áreas endurecidas, o que pode ajudar a localizar as partes afetadas do sistema digestivo.

De seguida o médico realizará um exame retal digital para verificar a existência de fezes compactas e duras.

Neste teste, o médico coloca uma luva, lubrifica um dos dedos, e insere-o no reto. Este procedimento não costuma causar dor, mas pode causar algum desconforto.

Se o médico suspeitar da existência de fecaloma após a realização dos exames, pode pedir uma radiografia do abdómen.

Outros procedimentos possíveis são uma ecografia abdominal ou uma visualização do cólon utilizando um microscópio minúsculo, fazendo um exame chamado sigmoidoscopia.

Um clister de bário pode também realçar as áreas problemáticas. Um clister de bário envolve a inserção de um corante no reto e depois a realização de uma radiografia do cólon e do reto.

Outras formas de chegar ao diagnóstico são:

Historial médico

O médico irá perguntar a frequência de idas à casa de banho, quando foi à última vez, e se foi difícil. Se é frequente a prisão de ventre e com que frequência a pessoa usa laxantes.

Outras questões que o médico pode perguntar envolvem o consumo de água ou líquidos, qual a quantidade de água ingerida e outros líquidos, quantidade de fibra ingerida, e que medicamentos é que a pessoa toma.

Exame físico

O médico deve verificar a saúde geral da pessoa afetada e realizar um exame retal digital. Para o fazer, o médico colocará luvas, adiciona lubrificante em forma de gel a um dedo, depois introduz o dedo no ânus para sentir a massa de fezes ou outros problemas.

Raio-x

O médico poderá ser capaz de detetar a existência de fecaloma através de imagens de raio-x da zona do peito e da barriga.

Sigmoidoscopia

 A anuscopia e a sigmoidoscopia são exames médicos usados para avaliar sintomas relacionados com o reto ou com o ânus. Durante este teste, o médico utiliza um sigmoidoscópio, um instrumento fino com uma luz e uma lente, para procurar problemas dentro do cólon inferior, na área mais próxima do reto.

A sigmoidoscopia é muito mais confortável para o paciente e possibilita a obtenção de forma rápida de fotografias e biópsias de tecidos. É necessária alguma habilidade por parte do médico para fazer o exame até ao fim sem causar desconforto.

Como fazer a prevenção?

Uma forma de evitar o aparecimento do fecaloma é evitar a ocorrência de obstipação. Algumas doenças e certos medicamentos tornam impossível evitar esta situação, mas fazer pequenas mudanças no estilo de vida pode ajudar.

Algumas estratégias de prevenção são:

  • Beber muita água todos os dias para evitar a desidratação
  • Beber outros líquidos como sumo de ameixa, café e chá, que atuam como laxantes naturais
  • Comer alimentos ricos em fibras, como trigo integral, peras, aveia e vegetais
  • Reduzir a ingestão de alimentos ricos em açúcar, que podem causar obstipação
  • Fazer exercício físico diariamente para ajudar a manter o sistema digestivo a funcionar bem

Outras estratégias que podem ser aplicadas para ajudar a reduzir as hipóteses de desenvolver fecaloma:

  • Tomar medicamentos que facilitam a passagem de fezes ou que as tornem mais macias e que são prescritas pelo médico
  • Manter a atividade, mesmo que seja apenas um passeio diário
  • Beber muita água e comer alimentos com muita fibra para manter o intestino a funcionar de forma regular
  • Perguntar ao médico se os medicamentos que está a tomar podem causar problemas

Conclusão

Pode não ser fácil falar de fecaloma ou sobre problemas com fezes, mas é importante procurar informação sobre o problema bem como as suas causas, como por exemplo, a causa mais frequente que é a obstipação.

Na obstipação, os movimentos intestinais ou ocorrem com menos frequência do que o esperado ou as fezes são duras, secas e difíceis de evacuar.

Na maioria das vezes, a obstipação não está relacionada com uma doença ou distúrbio digestivo.

Em vez disso, o problema é causado por uma dieta mais pobre em fibra, estilo de vida, medicamentos ou algum outro fator que endurece as fezes ou interfere com a capacidade de as fezes serem expelidas confortavelmente.

O fecaloma é mais comum entre os idosos, particularmente as mulheres, que estão hospitalizadas ou que vivem em lares de idosos.

Quase 50% dos residentes em lares de terceira idade sofrem de obstipação crónica, o que leva ao surgimento da doença, de acordo com estudo publicado em agosto de 2014 na revista PLoS One

Neste estudo, das pessoas que apresentavam fecaloma, constatou-se que 18,5% tinham experimentado um único episódio de obstipação no ano anterior.

25,2% tinham experimentado mais de um episódio, mas menos de um por mês, e 3,6% tinham experimentado pelo menos um episódio por mês.

Aqueles com perturbações neurológicas como, demência ou acidente vascular cerebral, também correm um risco mais elevado.

Em suma, a forma mais fácil de evitar o aparecimento de fecaloma é evitar os episódios ou a recorrência de prisão de ventre. Uma alimentação saudável, atividade física e cuidado com a saúde em geral fazem o resto.

Juntos Cuidamos Melhor!

Na Mais que Cuidar encontra uma gama completa de produtos e serviços que ajudam no apoio, na qualidade de vida e na saúde dos idosos, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar, como os produtos de ortopedia.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade têm sempre as melhores soluções para a sua situação específica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Na Mais que Cuidar poderá contar também com o apoio do médico fisiatra através da consulta ao domicílio ou da teleconsulta.

Referências:

  • Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia
  • Healthline
  • Harvard Health

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Chamada para rede fixa nacional
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Chamada para rede fixa nacional
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Chamada para rede fixa nacional
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Chamada para rede fixa nacional
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
Chamada para rede fixa nacional