Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Dores musculares: o que são, quais as causas e como tratar

Dores musculares adultos

Todos nós já sentimos em algum momento uma dor muscular, possivelmente depois de um esforço físico acentuado com contração muscular ou por causa de uma distensão.

As dores musculares ou mialgias, ocorrem mais frequentemente nos ombros, pescoço e costas e aparecem sobretudo em pessoas que passam muito tempo sentadas. Podem ser dores agudas ou prolongadas no tempo.

A mialgia pode ser resultado também de uma infeção ou de outras doenças como é o caso da fibromialgia, em que as dores musculares incidem pelo corpo todo.

Mesmo situações de stress ou com grande carga emocional podem provocar desconforto ou dor muscular.

As causas são muito variadas e a doença tanto pode resultar de uma pressão intramuscular, de uma reação inflamatória, alterações do metabolismo muscular, insuficiência vascular, irritação dos nervos que irrigam os músculos ou outras doenças.

Em Portugal cerca de 30% das pessoas refere sentir dores musculares maioritariamente relacionadas com o trabalho.

Continue a ler para saber mais sobre as dores musculares e como podem ser tratadas, neste artigo onde explicamos tudo.

O que são dores musculares?

Dores musculares o que são

São dores sentidas nos músculos e que podem ser leves ou mais intensas. As dores musculares ou mialgias são muito comuns e podem afetar mais do que um músculo.

Muitas vezes chegam a afetar os ligamentos ou os tecidos moles que ligam os músculos e os ossos.  Podem manifestar-se como dor aguda, cãibras ou torções, por exemplo, e afetar diferentes partes do corpo, o corpo todo ou só uma pequena área.

Quais as causas mais comuns das dores musculares?

Causas comuns das dores musculares

As mialgias estão muitas vezes associadas a esforços físicos intensos ou pouco comuns, tensão, uso excessivo ou lesões musculares que resultam de trabalho físico desgastante ou muito exigente, que se manifesta durante ou imediatamente após a execução da atividade.

Em algumas ocasiões, podem ser despoletadas por posturas incorretas e, neste caso, é mais difícil identificar a sua causa.

Algumas infecções como a gripe, doenças do foro viral ou parasitário, por exemplo, podem também ser responsáveis por dores musculares, assim como o aporte insuficiente ao organismo de alguns minerais, tais como o cálcio e o magnésio.

A acidez e degeneração muscular provocadas pelo esforço muscular, a idade, o descanso, tensão, stress e o metabolismo também podem induzir dores musculares.

Outras causas mais específicas foram também identificadas:

Lesões musculares

As lesões musculares estão muito associadas à prática de desportos com movimentos bruscos de arranque e paragem rápida como o futebol ou o ténis. Devido a isto, é comum a ocorrência de fraturas, distensões e contusões nestas práticas desportivas, o que provoca, muitas vezes, ruturas musculares e leva à existência de dores nos músculos.

Veja também:  Lesões desportivas: tipos mais comuns, tratamentos e como prevenir

Cãibras musculares

Cãibras musculares

As cãibras são espasmos musculares com dor aguda, que ocorrem com maior frequência nas pernas e que resulta da perda de magnésio, provocada por forte esforço físico ou por deficiência inerente no organismo deste mineral.

Quando é feito um grande esforço físico e há um aumento de transpiração, há também uma maior perda de magnésio e consequentemente aumenta a probabilidade da ocorrência de dores musculares.

Doenças musculares

Algumas doenças musculares que resultam de espasmos ou contrações dos músculos, como a distonia, uma doença do sistema nervoso que afeta a musculatura, podem provocar dores agudas ou permanentes.

A distrofia muscular, uma doença genética que se carateriza pelo enfraquecimento dos músculos, também apresenta um quadro de dor.

Doenças reumáticas

Dores reumáticas e dores musculares

As doenças reumáticas caraterizam-se pela inflamação e dor nas articulações. Estas doenças atacam também os ligamentos, tendões e os músculos, chegando algumas delas a provocar extrema rigidez muscular.

O lúpus e a polimialgia reumática são duas doenças do foro reumático que podem afetar os músculos causando inflamação e dor.

Fibromialgia

Esta doença é uma síndrome clínica que se manifesta por dores no corpo que afetam sobretudo a musculatura e duram por longos períodos de tempo.

Esta condição apresenta alguns pontos dolorosos à palpação muscular e pode incluir outras caraterísticas mais ou menos dolorosas como a fadiga, dores de cabeça e distúrbios de sono.

Veja também: Fibromialgia, o que é, sintomas, causas e tratamentos

Uso de medicamentos

Certos medicamentos de combate ao colesterol, como as estatinas, podem provocar dores musculares. Isto acontece porque este medicamento ao inibir a produção de colesterol no fígado inibe também a produção de Q10, um composto que contribui para a renovação das células, incluindo as células musculares. A sua inibição compromete o funcionamento dos músculos, o que leva ao surgimento da dor.

Alguns medicamentos cardiovasculares, especialmente os vocacionados para a pressão arterial, corticosteróides e diuréticos também podem desencadear mialgias.

Infeções crónicas pela hepatite C

Infeções crónicas podem causar dores musculares

O vírus da hepatite C pode apresentar outras manifestações em outros órgãos para além do fígado, as dores musculares crónicas são uns dos efeitos da doença. Para além disso o uso de um medicamento específico para o tratamento da hepatite, o interferon-alfa, tem como efeito secundário mais comum, a mialgia.

Problemas da tiróide

As doenças que afetam a tiroide apresentam frequentemente sintomas musculares como dor, cãibras e fraqueza. Estes sintomas são mais frequentes num quadro de hipotiroidismo, quando a tiroide apresenta uma atividade reduzida, no entanto, as dores musculares também podem estar presentes num quadro de hipertiroidismo, quando a tiroide está muito ativa.

Depressão

Depressão e dores musculares

Para além dos aspetos mentais, os quadros depressivos afetam também de forma pronunciada o corpo físico. Muitas vezes a dor física é um dos primeiros sinais de depressão.

A depressão ativa os circuitos de algumas regiões do sistema nervoso autónomo que é responsável pelo funcionamento dos órgãos. Esta doença apresenta sintomas associados a indisposições orgânicas, frequentemente associadas à dor.

A regulação do humor é deficiente numa pessoa que está deprimida, ocorrendo falhas frequentes de comunicações químicas de determinados neurotransmissores no cérebro, falhas essas que afetam igualmente as áreas responsáveis pela inibição da dor.

Os estados depressivos tornam assim o paciente não só mais sensível à dor, como também mais vulnerável a sentir dores corporais.

Tensões musculares

Posturas erradas ou estar sentado durante muitas horas seguidas favorecem a ocorrência de tensões musculares. Estas tensões manifestam-se por um certo endurecimento das regiões afetadas e o surgimento de dor em reação ao toque.

Movimentos bruscos, repetitivos ou com demasiado esforço podem originar tensões nos ombros, costas e pescoço e provocar dor acentuada.

Quais são os sintomas mais comuns das dores musculares?

Sintomas das dores musculares

A mialgia pode manifestar-se com uma dor difusa, ocorrendo em diferentes partes do corpo, ou apenas num local específico. A própria dor pode manifestar-se de diferentes formas: pode ser aguda, opressiva, com sensação de apunhalada ou de ardor, com formigueiro, irritabilidade, fadiga, fraqueza e falta de coordenação motora.

Pode aparecer subitamente e de forma aguda como as cãibras ou pode ser crónica como no caso da rigidez muscular.

As dores agudas servem quase como um aviso e normalmente, desaparecem ou diminuem drasticamente de forma espontânea, assim que o problema é resolvido.

As dores crónicas, quando se estendem por largos períodos de tempo, podem transformar-se num quadro clínico próprio onde se desenvolve uma síndrome de dor.

As dores musculares estão frequentemente associadas a outros sintomas como a tensão muscular e mobilidade reduzida e têm variações de acordo com a zona que é afetada.

Dores musculares nos braços

Mialgias nos braços

As mialgias nos braços resultam, a maioria das vezes, de distensões musculares, que causam uma dor localizada sobre o músculo.

Podem surgir depois de uma queda, pancada ou de esforço excessivo no exercício físico.

A tendinite, que é a inflamação do tendão provocada por movimentos repetitivos, pode afetar os músculos e provocar dor nos membros superiores e no pescoço.

Dores musculares nas pernas

Dores musculares nas pernas

As cãibras ou espasmos são as dores musculares mais comuns que ocorrem nas pernas. Carateriza-se por uma dor súbita e aguda que advém da contração muscular.

As tensões musculares ou lesões provocadas pelo rompimento das fibras musculares que ocorrem devido ao excesso de exercício físico, também podem provocar dores nas pernas.

Dores musculares nas costas

Dores musculares nas costas

A má postura é responsável pela maioria das dores musculares nas costas. As posturas incorretas sobrecarregam os músculos, causando tensão e contribuindo para a sua rigidez e contração.

A obesidade pode provocar mialgias nas costas, devido à pressão que exerce sobre a musculatura desta zona.

Levantar objetos pesados de forma incorreta, também pode provocar o estiramento dos músculos inferiores das costas, o que leva a espasmos e à dor.

Dores musculares gripe

Mialgias gripe

A dor muscular pelo corpo todo é um sintoma comum da gripe. A musculatura da região lombar e braços costuma ser a área mais afetada, que se manifesta com espasmos dolorosos que em algumas ocasiões podem mesmo afetar as pernas.

Isto deve-se ao facto do organismo libertar substâncias, como as prostaglandinas, que são responsáveis por estimular o sistema imunológico, mas também desencadeiam o estímulo da dor nas células nervosas.

Dores musculares pós-treino

Dores musculares pós treino

As dores que ocorrem depois do treino físico, resultam sobretudo da sobrecarga de esforço que causam lesões ou ruturas nas fibras musculares, e da acumulação de ácido lático.

Estas lesões musculares provocam inflamação, o que despoleta o quadro de dor nesta situação.

As mialgias variam de intensidade consoante o esforço despendido. Provocam sobretudo desconforto e alguma limitação de mobilidade, mas tendem a durar apenas dois ou três dias.

Dores musculares no corpo todo

Dores musculares no corpo todo

As dores musculares generalizadas pelo corpo todo estão geralmente associadas a quadros de infeção como a gripe ou à fibromialgia. Esta doença que afeta maioritariamente as mulheres, carateriza-se pela dor generalizada no corpo e que incide sobretudo na musculatura. Os doentes exibem uma extrema sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura.

Associados ao quadro de dor estão outros sintomas como a fadiga, alterações de memória, distúrbios do sono, ansiedade e depressão.

Como tratar dores musculares?

Como tratar dores musculares

Como as dores musculares têm causas muito diversas, o tratamento ou tratamentos variam consoante o diagnóstico estabelecido pelo médico. Neste sentido, é importante consultar o médico especialista, para ter uma melhor informação sobre os medicamentos mais adequados a cada caso, a dosagem mais adequada e a duração do tratamento.

A prática de desportos mais suaves como a corrida, caminhada, natação, ciclismo e tiro com arco, podem ser mais adequados para as pessoas que têm tendência a desenvolver dores musculares frequentes.

A maior parte das vezes o tratamento inclui diferentes abordagens.

Medicamentos

Os medicamentos utilizados para as mialgias também variam consoante a gravidade dos sintomas.

Podem ser usados medicamentos para as dores simplesmente ou para as dores e para a inflamação.

Alguns exemplos de medicamentos mais utilizados são o Ibuprofeno, Nimesulida, Paracetamol e o Ácido Acetilsalicílico.

No caso dos pacientes que estão a tomar medicamentos para o colesterol ou penicilina, poderão ter que suspender a sua toma, já que estes medicamentos contêm estatinas que têm como efeito secundário as dores musculares.

Descanso

Descanso tratamento dores musculares

No caso das mialgias agudas ou de uma lesão muscular, o tratamento mais apropriado é o repouso. Parar de imediato com as atividades desportivas e retomar o exercício de forma gradual, desde que a dor não esteja presente.

Por vezes a aplicação de frio sobre a área afetada em conjugação com o descanso, podem ser o suficiente para minimizar ou eliminar a dor.

Pomadas

Pomadas para dores musculares

O uso de pomadas anti-inflamatórias ocorre mais frequentemente em casos de distensão muscular. São usadas para tratar a dor e diminuir a inflamação. Com aplicação local, as pomadas ajudam a melhorar o desconforto e a mobilidade.

Uma das pomadas mais usadas é o Voltaren que atua sobre a dor e inflamação localizadas.

Alongamentos

Alongamentos para dor muscular

Os exercícios de alongamento melhoram a flexibilidade muscular e funcionam também como tratamento e prevenção das dores musculares.

Têm maior eficácia se forem feitos antes e depois do exercício físico regular.  Consistem em esticar os membros superiores e inferiores, o pescoço e torções gentis do tronco ou corpo.

Alimentação

A alimentação tem um efeito multifacetado no tratamento das mialgias.

Alguns alimentos interferem na regeneração muscular e outros ajudam a combater o desconforto muscular, a prevenir a inflamação e a auxiliar uma recuperação mais rápida e eficaz.

Neste sentido, os alimentos ricos em ómega 3 ajudam no processo anti-inflamatório e os alimentos ricos em zinco, magnésio e vitamina C ajudam na recuperação muscular.

Ortóteses

Ortóteses para dor muscular

Estes dispositivos ortopédicos de uso provisório ou prolongado, ajudam a alinhar e a melhorar a função das partes móveis do corpo, podendo ser usados quando as dores musculares afetam os membros superiores e inferiores.

Veja também: Ortóteses, quais os tipos e para que servem?

Bolsa térmica

Bolsa térmica para dores musculares

Os tratamentos térmicos podem ter uma grande eficácia no tratamento de situações musculares agudas ou crónicas. A aplicação de calor ou frio vai depender do tipo de lesão ou dor muscular.

As temperaturas frias têm uma ação mais pronunciada sobre os vasos sanguíneos e atuam no sentido de diminuir o inchaço e atenuar a contração muscular.

O calor tem um efeito dilatador sobre os vasos sanguíneos, melhora a função muscular e relaxa a musculatura.

Assim o frio está mais indicado para situações agudas como a distensão, contração ou a fadiga muscular. O calor funciona melhor em situações crónicas ou quando existe uma tensão muscular frequente.

O contraste térmico, onde são usados o calor e o frio de forma alternada, está indicado em situações de cãibras e em processos inflamatórios.

Neste caso, o contraste deve ser feito em ciclos de 15 a 20 minutos, as temperaturas devem oscilar entre os 10ºC e os 15º C para o frio e não deve queimar a pele no caso do tratamento com calor.

Massagem

Massagem para dores musculares

Um dos recursos mais simples e fáceis para colmatar as mialgias é a compressão ou massagem dos músculos, que para além do benefício físico, pode trazer um acréscimo benéfico ao foro psicológico do paciente.

As massagens apresentam uma grande variedade de técnicas e utilizam a pressão e a compressão em diferentes pontos do corpo. Têm um efeito corretivo, ajudam a relaxar os músculos tensos e a atenuar a rigidez e a dor.

Fisioterapia

A fisioterapia pode ser uma alternativa bastante eficaz ao uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios, tendo um efeito a longo prazo e com menos efeitos secundários.

O tratamento fisioterapêutico incide sobre a dor e o desconforto, podendo ajudar a reduzir a inflamação, melhorar a amplitude dos movimentos e a aumentar a força muscular.

O fisioterapeuta pode também aplicar um tratamento mais localizado com estimulação muscular. Como é o caso da Estimulação Nervosa Elétrica Transcutânea (TENS), que realiza estímulos elétricos nos músculos e atua no alívio da dor e na redução de algumas atrofias musculares.

Como fazer o diagnóstico das dores musculares?

Diagnóstico das dores musculares

O diagnóstico da mialgia deve ser feito por um médico de clínica geral ou por um especialista em ortopedia ou reumatologia. Para fazer o diagnóstico, o médico irá realizar um exame físico e obter informação sobre o historial clínico do doente.

O médico irá tentar estabelecer um enquadramento clínico através de determinadas informações como:

  • A dor é difusa ou localizada
  • A dor é aguda ou crónica com pelo menos 3 meses
  • Qual a idade do paciente
  • Se estão associados outros sintomas
  • Se o paciente está a tomar algum medicamento
  • Se o paciente pratica algum exercício físico
  • Se o paciente esteve recentemente em regiões onde doenças como a malária ou o dengue estão ativas

Outros exames complementares podem ser realizados também, entre eles os exames sanguíneos, radiografias, ressonância magnética ou ecografias musculares.

O médico pode considerar fazer uma eletromiografia, que consiste na utilização de eletrodos em forma de agulha, para avaliar a atividade muscular em repouso ou em contração. Como último recurso pode ser feita também uma biopsia muscular.

Como prevenir as dores musculares?

Prevenir as dores musculares

A melhor forma de prevenir as mialgias é prevenir o surgimento de tensões e lesões musculares, que constituem a causa mais comum para as dores nos músculos.

As dores provocadas por tensões na zona dos ombros e nuca podem ser prevenidas por correções na postura e pela prática de natação ou ginástica.

Outras atividades que podem ajudar na prevenção são:

  • Praticar exercício físico regular que favorece o relaxamento muscular, como a caminhada, corrida ou natação
  • Adotar uma alimentação equilibrada que inclui cereais e frutas evitando a carência de magnésio
  • Praticar algumas técnicas de relaxamento como o yoga
  • Evitar o excesso de peso
  • Criar condições para ter um sono reparador com um colchão adequado
  • Adotar posturas corretas no trabalho com pausas para relaxar os músculos

Conclusão

Dores musculares nos adultos

As dores nos músculos têm causas muito diversas, mas podem ser um sinal de uma doença mais grave que pode ter grande impacto na mobilidade e na qualidade de vida dos indivíduos.

Dores ocasionais são normais especialmente para as pessoas que estão a iniciar um regime de exercícios físicos ou praticam muito desporto.

Nos casos mais leves como cãibras, as dores podem desaparecer por si só, ou o organismo necessita apenas de repouso para voltar ao normal.

É importante prestar atenção ao corpo e diminuir ou parar a atividade assim que os músculos começarem a doer, para evitar o aparecimento de lesões.

Quando os músculos estão doloridos pode ser mais do que tensão ou demasiada atividade física e o problema deve ser tratado assim que tem início.

A ida ao médico é fundamental, sobretudo nos casos em que as dores não têm uma causa conhecida, os sintomas não melhoram após várias semanas e no caso de trauma ou suspeita de rutura ou lesão muscular.

Como em todas as doenças, a prevenção é o melhor remédio. A prática de exercício físico não muito intenso de forma regular, uma alimentação equilibrada com alimentos que contenham ômega 3 e magnésio e a adoção de posturas corretas enquanto trabalha, são uma garantia para minimizar ou eliminar o aparecimento de dores musculares agudas e consequentemente evitar complicações futuras.

Na Mais que Cuidar tem ao seu dispor um conjunto de serviços nos cuidados de saúde domiciliários, como a fisioterapia e os serviços de enfermagem 24h/dia que podem ser um apoio importante em situações musculares mais incapacitantes.

Referências

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225