Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Quais os desafios do idoso na sociedade moderna?

Os desafios que os idosos enfrentam diariamente

Quanto mais tempo vivemos, muito por causa da melhoria das condições de vida e dos cuidados de saúde, maiores são os desafios que enfrentamos.

A velhice pode ser ao mesmo tempo uma bênção e um fardo dependendo muito da qualidade de vida que as pessoas podem alcançar no final da sua vida.

Existem vários desafios que os idosos enfrentam, e muitas vezes é só quando começamos a envelhecer ou quando vemos um familiar a passar pelo mesmo processo, é que nos apercebemos como as pessoas idosas são tratadas na sociedade e como todos nós podemos fazer mais e melhor para facilitar a vida aos idosos.

Então quais são os maiores desafios que as pessoas de idade enfrentam? Mas mais importante ainda, como podemos dar apoio e ajudar a criar um envelhecimento com mais dignidade?

Sabendo de antemão quais os maiores desafios, mais fácil se torna, encontrar soluções para os resolver.

Descriminação com base na idade

Muitos estereótipos que surgem sobre pessoas idosas, podem levar ao isolamento e à marginalização dos idosos em muitas áreas da sociedade.

Encontrar formas inovadoras de os envolver na comunidade através de eventos sociais ou outros, pode ajudá-los a manter um sentido de identidade e autoestima, e também usufruir da riqueza de conhecimento e experiência que possuem, que é tão importante para o desenvolvimento da sociedade.

Abuso de idosos

É difícil dizer exatamente quantos idosos são afetados por maus tratos ou abandono, porque frequentemente não o denunciam.

Infelizmente, alguns idosos são vítimas de maus tratos cometidos pelos seus próprios familiares. O abuso envolve violência física ou sexual, abuso psicológico ou emocional, negligência, ou exploração financeira.

O abuso representa um grave problema de saúde para os idosos, e pode mesmo aumentar a probabilidade de morte.

É importante que a família ou uma rede social de apoio estejam diretamente e bastante envolvidas na vida do idoso para que seja mais fácil prevenir situações de abuso e abandono.

Insegurança financeira

Embora a população viva mais tempo, o mercado de trabalho e as condições de reforma não evoluem ao mesmo ritmo.

Muitos idosos são capazes e estão dispostos a trabalhar para além da idade normal da reforma, mas as oportunidades não existem.

Além disso, gerir as finanças do dia-a-dia e planear para uma vida mais tardia pode ser um desafio para as gerações mais velhas, porque há uma componente digital e online muito forte. Isto pode também deixar os idosos mais vulneráveis a fraudes e burlas.

Com a reforma, a maioria dos idosos vivia com um rendimento fixo, o que, juntamente com o aumento constante do custo de vida, pode colocar muitas restrições financeiras. Podem já não ter a possibilidade de usufruir do mesmo estilo de vida a que estavam habituados.

Além disso, muitos preocupam-se com despesas inesperadas, tais como despesas médicas súbitas que podem afetar o orçamento mensal.

Embora os idosos recebam benefícios da segurança social, muitos dos que sobrevivem apenas com prestações da segurança social vivem com um nível de pobreza muito elevado.

Dificuldade com as tarefas diárias e mobilidade

A mobilidade e destreza diminuem naturalmente à medida que vamos envelhecendo, o que dificulta a realização das tarefas quotidianas.

Isto pode gradualmente levar as pessoas a focarem a sua atenção mais em si próprias, perdendo o interesse em eventos sociais, procurarem novos interesses, ou participarem em atividades de que gostam.

É necessário encontrar formas que permitam que as pessoas idosas vivam de forma independente com segurança, equilíbrio, aptidão física e mobilidade, mas também para assegurar que possam continuar a prosperar como indivíduos.

Prestação de cuidados adequada

Quando a independência e a autonomia individual ficam reduzidas, muitas pessoas idosas requerem cuidados adicionais. Envelhecer em casa pode ser uma das opções escolhidas.

Por vezes os cuidados podem ser prestados por membros da família, mas isto pode colocar muita pressão sobre o prestador de cuidados em termos de equilibrar isto com o trabalho e outras responsabilidades familiares.

Estes cuidadores informais precisam de formação, recursos e apoio emocional necessários para os ajudar a prestar os melhores cuidados aos seus familiares e a si próprios.

Em alguns casos, é mais apropriado que um cuidador profissional seja contratado regularmente, quando existem condições médicas complexas ou deficiências físicas, por exemplo.

Com um serviço de apoio domiciliário, a pessoa idosa pode permanecer na sua própria casa, aumentando o seu conforto e bem-estar.

Custos dos cuidados de saúde

Como a população sénior tem mais problemas de saúde, faz sentido que também necessite de mais cuidados de saúde ou mesmo de cuidados domiciliários de enfermagem.

Os idosos vão ao médico e permanecem no hospital com mais frequência do que outros grupos etários. 

Os lares são ainda uma opção primária para os idosos que necessitam de cuidados 24 horas por dia, porém os lares de idosos podem ser muito caros, e também têm frequentemente a reputação de prestarem cuidados de qualidade inferior.

É necessário fazer uma pesquisa considerável para encontrar um lar que reúna as condições necessárias, mas eventualmente, terá que ser tomada a decisão entre ter acompanhamento em casa ou ir para um lar.

Acesso aos serviços de saúde

Pode ser difícil aos idosos aceder a cuidados de saúde, especialmente quando têm problemas de mobilidade.

É importante criar sistemas de apoio para o idoso para possibilitar o acesso a medicamentos, consultas, exames ou outro tipo de cuidados.

Saúde Física e Mental

Muitos idosos mantêm uma boa saúde e são plenamente capazes de funcionar bem tanto física como mentalmente, nos seus últimos anos.

Contudo, os efeitos biológicos do envelhecimento conduzem a mais problemas de saúde física e mental entre a população sénior do que nos grupos etários mais jovens.

À medida que envelhecemos, os músculos e os ossos começam a enfraquecer, perdemos a visão e a audição, e a mobilidade torna-se frequentemente limitada.

Os idosos também sofrem de demência, incluindo a doença de Alzheimer, que afeta cerca de 10% das pessoas com mais de 65 anos de idade, aumentando para 32% nas pessoas com 85 ou mais anos de idade.

Devido às suas condições de saúde física ou mental, cerca de dois terços de todas as pessoas com 65 anos ou mais, necessitam de assistência com atividades do dia a dia, tal como tomar banho ou preparar uma refeição.

A saúde em declínio pode ser difícil de aceitar para muitos idosos, dado que se perguntam quanto tempo serão capazes de fazer as coisas de que gostam e receiam perder a sua independência.

Isolamento Social e Solidão

Os seniores tendem a ter menos oportunidades de envolvimento social do que os grupos etários mais jovens.

Reformam-se dos empregos, os filhos mudam-se, os amigos e os cônjuges falecem, e eventualmente podem ficar presos à casa se perderem a capacidade de conduzir ou ficarem doentes.

O luto é sempre uma experiência difícil, mas como tantos idosos perdem o cônjuge, é um problema particular nas suas vidas.

O luto que se segue à perda de um cônjuge pode durar muitos anos e pode envolver ansiedade, depressão, solidão e outras questões. De todos estes problemas, a solidão é talvez o mais frequente e o mais difícil de ultrapassar.

Estudos mostram que os idosos que vivem sozinhos experimentam frequentemente isolamento social e sentimentos crónicos de solidão, que causam depressão, doença, e até a morte.

Preparativos de fim de vida

Todos precisamos de nos preparar para o inevitável, mas a morte é muitas vezes um tema difícil de discutir ou planear para a maioria das pessoas.

Os idosos e os seus familiares devem considerar as opções de fim de vida disponíveis, as suas implicações financeiras, e como assegurar que os desejos do indivíduo são respeitados.

Conclusão

Muitas pessoas anseiam pela reforma, vendo-a como um momento para finalmente relaxar, abrandar, e desfrutar pacificamente da vida.

Embora seja verdade que os anos dourados podem ser alguns dos melhores anos de vida, existem alguns desafios significativos que surgem com o envelhecimento.

Apesar de ser um processo inevitável para toda a gente, nem todos se preparam com a devida antecedência para esta fase da vida.

É importante estarmos cientes destes desafios para os podermos enfrentar, porque Juntos Cuidamos Melhor!

Referências:

Family Matters in Home Care

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
4 stars