Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Como prevenir os maus tratos aos idosos?

Os maus tratos e a violência contra pessoas idosas são, muitas vezes, acontecimentos que não são falados ou reconhecidos, no entanto, são situações que existem tanto no seio familiar como nas instituições.

O abuso de idosos inclui danos físicos, emocionais, ou sexuais infligidos a um adulto idosos, a sua exploração financeira ou negligência do seu bem-estar, geralmente por pessoas que são diretamente responsáveis pelos seus cuidados ou que interagem de perto com eles.

À medida que os idosos se tornam mais frágeis fisicamente, são menos capazes de cuidar de si próprios, de fazer frente ao bullying ou qualquer tipo de agressão, ou ainda de se defenderem se forem atacados.

Doenças mentais ou físicas podem ser um fator de incapacidade bem como problemas de visão, audição ou confusão mental, abrindo a oportunidade para que pessoas sem escrúpulos provoquem abuso.

Os maus tratos a idosos tendem a ocorrer com mais frequência no local onde vivem os idosos.

Geralmente o abuso é cometido por familiares próximos ou por cuidadores, embora também possa ocorrer em ambientes institucionais, especialmente em instituições que prestam cuidados a longo prazo.

Todas as pessoas merecem viver em segurança, com dignidade e respeito. Reconhecer os sinais de abuso de idosos, pode ajudar a prevenir e a denunciar o problema.

Veja abaixo os tópicos que serão abordados neste artigo:

Tipos de abuso

A Organização Mundial de saúde identifica diferentes tipos de abuso que podem ocorrer a idosos:

Maus-tratos físicos

O uso não acidental da força contra uma pessoa idosa que resulta em dor física, ferimento ou deficiência.

Este tipo de abuso inclui não só agressões físicas, tais como pancadas ou empurrões, mas também o uso inapropriado de drogas, restrições ou confinamento.

Maus-tratos emocionais

O tratamento de uma pessoa idosa de forma a causar dor ou angústia emocional ou psicológica, que pode incluir:

  • A intimidação através de gritos ou ameaças
  • Humilhação e ridicularização
  • Atribuição de culpa arbitrária ou bode expiatório
  • Ignorar a pessoa idosa
  • Isolar um idoso de amigos ou atividades
  • Aterrorizar ou ameaçar a pessoa idosa

Maus-tratos sexuais

Contacto sexual com uma pessoa idosa sem o seu consentimento é um abuso e uma violência.

A Organização Mundial de Saúde designa este contacto como atos sexuais físicos, outras atividades como mostrar material pornográfico a uma pessoa idosa, forçar a pessoa a assistir a atos sexuais, ou forçar o idoso a despir-se também são considerados atos de abuso sexual de idosos.

Exploração financeira

O uso não autorizado de fundos ou bens de uma pessoa idosa, quer por um prestador de cuidados ou por um elemento desonesto exterior ao círculo de contactos do idoso.

Este tipo de abuso pode ter aspetos tão diversos como:

  • O uso indevido de cheques pessoais, cartões de crédito ou contas bancárias
  • Roubar dinheiro, cheques ou bens domésticos.
  • Forjar a assinatura do idoso
  • Roubar a identidade do idoso

Os golpes financeiros típicos que visam os mais velhos incluem:

  • Anúncio de um prémio que a pessoa idosa ganhou, mas que tem de pagar dinheiro para reclamar
  • Caridades falsas
  • Fraude de investimento

Abuso nos cuidados de saúde

Este tipo de abuso pode ser realizado por médicos, enfermeiros, pessoal hospitalar e outros prestadores de cuidados profissionais pouco éticos.

O abuso pode incluir:

  • Não prestação de cuidados de saúde, mas cobrança pelos mesmos
  • Cobrança excessiva ou dupla faturação por cuidados ou serviços médicos
  • Receber comissões por referências a outros prestadores ou por prescrição de certos medicamentos
  • Medicação excessiva ou que causa debilidade intencional
  • Recomendar remédios fraudulentos para doenças
  • Fraude com medicamentos

Negligência

A negligência implica a falta de cumprimento de uma obrigação de cuidado e constitui mais de metade de todos os casos de abuso de idosos denunciados.

Pode ser intencional ou não intencional, com base em diferentes fatores como a ignorância ou um sentimento de negação de que uma pessoa idosa necessita de determinados cuidados ou de tanta atenção.

Violência Doméstica

Infligir, de forma continuada ou não, maus tratos físicos ou psíquicos, a uma pessoa idosa indefesa ou em dependência económica, bem como castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais, realizadas no local e pelas pessoas onde habita o idoso.

O crime de violência doméstica é público e em casos que se saiba ou suspeite que uma pessoa idosa está a ser vítima deste crime é muito importante denunciar.

Sinais de abuso

Os sinais de abuso de idosos podem ser difíceis de reconhecer ou confundidos com sintomas de demência ou com a fragilidade natural da pessoa idosa.

Muitos dos sinais e sintomas de abuso de idosos sobrepõem-se aos sintomas de deterioração mental.

Argumentos frequentes ou tensão entre cuidadores e a pessoa idosa ou mudanças na personalidade ou comportamento do idoso podem ser sinais amplos de abuso.

Alguns sinais que podem indiciar algum tipo de abuso contra idosos inclui:

Sinais de maus-tratos físicos

Surgimento inexplicável de lesões, tais como hematomas, vergões ou cicatrizes, especialmente se aparecerem simetricamente em dois lados do corpo.

  • Ossos partidos
  • Entorses
  • Óculos ou armações quebradas
  • Marcas nos pulsos
  • O cuidador exige ver o idoso sozinho

Sinais de abuso emocional

  • Ameaçar, depreciar ou controlar o comportamento
  • Comportamento diferente do habitual como balançar ou murmurar para si próprio

Sinais de abuso sexual

  • Contusões à volta dos seios ou dos órgãos genitais
  • Hemorragia vaginal ou anal inexplicada
  • Roupa interior ensanguentada ou rasgada

Sinais de negligência

  • Perda de peso repentina
  • Desnutrição
  • Desidratação
  • Problemas físicos não tratados como úlcera de pressão
  • Condições de vida insalubres com sujidade, insetos e roupa de cama suja
  • Sujidade e falta de banho frequente
  • Roupas inadequadas para o tempo
  • Condições de vida inseguras como falta de aquecimento ou água corrente
  • Deambulação do idoso num local público sem companhia

Sinais de exploração financeira

  • Retiradas significativas de dinheiro das contas do idoso
  • Alterações súbitas na situação financeira
  • Artigos ou dinheiro em falta na casa
  • Alterações suspeitas em testamentos, procurações, títulos e apólices
  • Atividade financeira que o idoso não poderia ter empreendido, tal como um levantamento no multibanco quando o titular da conta está acamado

Sinais de abuso nos cuidados de saúde

  • Faturação duplicada para o mesmo serviço ou dispositivo médico
  • Provas de excesso ou falta de medicação
  • Provas de cuidados inadequados
  • Cuidados de saúde feitos por pessoas não qualificadas

Fatores de riscoh2

É difícil cuidar de um idoso que tem muitas necessidades diferentes e é difícil ser idoso quando a idade traz consigo fragilidades e dependência.

Tanto as exigências do cuidado como as necessidades do idoso podem criar situações que facilitam a ocorrência de abusos.

Muitos prestadores de cuidados não profissionais podem achar que cuidar de um idoso é gratificante e enriquecedor.

Mas as responsabilidades e exigências da prestação de cuidados, que aumentam à medida que a condição do idoso se deteriora, podem também causar stress.

Isto pode levar a dificuldades por parte do cuidador para prestar os devidos cuidados.

Além da incapacidade do cuidador em gerir o stress, outros fatores de risco de abuso de idosos incluem:

  • Depressão no cuidador
  • Falta de apoio
  • A perceção do prestador de cuidados de que cuidar do idoso é oneroso e sem recompensa emocional
  • Abuso de substâncias por parte do cuidador
  • A intensidade da doença ou demência da pessoa idosa
  • Isolamento social, o idoso e o prestador de cuidados estão quase sempre sozinhos juntos
  • Uma história de violência doméstica no lar
  • A própria tendência do idoso para a agressão verbal ou física

Mesmo os cuidadores em ambientes institucionais podem experimentar stress a níveis que levam ao abuso do idoso.

Os cuidadores do lar de idosos podem ser propensos a maus tratos se não tiverem formação, tiverem demasiadas responsabilidades ou trabalharem em más condições.

A contratação de um serviço de apoio domiciliário profissional e regularizado pode ser uma boa alternativa a estas situações.

Prevenção

Reconhecer que existe um problema é o passo essencial para obter ajuda e prevenir abusos.

Algumas estratégias podem ser adotadas que por cuidadores quer por outras pessoas para evitar as situações de abuso:

Aliviar o stress e o esgotamento

O stress é um dos principais fatores que contribuem para o abuso e negligência de idosos. Aprender técnicas para ajudar a reduzir o stress é uma boa estratégia.

Pedir ajuda

Pedir ajuda a amigos, familiares, ou a um serviço de apoio domiciliário especializado e regulado.

Autocuidado

Cuidar de si próprio é fundamental para cuidar dos outros. Quem não descansa o suficiente, muito mais provavelmente sucumbe à raiva ou stress.

O autocuidado também implica procurar ajuda para a depressão. Os cuidadores da família estão especialmente em risco de depressão.

Visitas regulares ao idoso

Telefonar e visitar o mais frequentemente possível o idoso, por familiares ou amigos, pode ajudar a prevenir o abuso.

Monitorização de medicamentos

Monitorizar os medicamentos do idoso para assegurar que as quantidades tomadas correspondem às datas e doses de prescrição.

Vigilância financeira

Vigiar os abusos financeiros perguntando ao idoso se pode verificar as suas contas bancárias e extratos de cartão de crédito para transações não autorizadas.

Prevenção por parte do idoso:

  • Manter os assuntos financeiros e jurídicos em ordem
  • Manter o contacto com a família e amigos e evitar o isolamento

Quando há insatisfação com os cuidados recebidos, quer seja na própria casa ou numa instituição, deve ser comunicado e denunciado.

Conclusão

A violência para com os idosos é infelizmente uma situação muito comum e que passa muitas vezes despercebido, sendo pouco falado.

O abuso pode ter várias formas como abusos psicológicos, financeiros ou físicos e pode acontecer nos mais diversos ambientes, seja casa dos próprios idosos, na casa de familiares, ou até mesmo em lares ou outras instituições.

A denuncia de maus tratos a idosos é assim de extrema importância para que se possa intervir o mais cedo possível e terminar com a situação de abuso rapidamente.

No caso dos idosos que sofrem abuso, devem tanto quanto possível informar alguém da situação, seja o médico, amigo ou familiar.

Para quem testemunha o abuso, este deve ser denunciado às autoridades rapidamente.

Muitos idosos não denunciam os maus-tratos que enfrentam, mesmo que sejam capazes de o fazer. Alguns receiam retaliação por parte do agressor, enquanto outros consideram que ter um cuidador abusivo é melhor do que não ter um cuidador e serem forçados a sair de casa.

Em casos mais grave poderá ser necessário não confrontar o agressor pessoalmente, porque pode colocar a pessoa idosa em maior perigo.

Sentimentos de vergonha podem muitas vezes também manter escondidos os maus-tratos a idosos. Mas quanto mais cedo se intervir numa situação de maus tratos a idosos, melhor será o resultado para todos os envolvidos.

Para ajudar o idoso de forma eficaz pode-se também entrar em contacto com a APAV, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, para que possa iniciar um processo de apoio jurídico, psicológico e social.

Mesmo que um idoso recuse a ajuda, garantir do seu bem-estar e segurança deve ser o principal objetivo.

Juntos Cuidamos Melhor!

Referências:

  • Associação Portuguesa de Apoio à Vítima
  • Organização Mundial de Saúde

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Chamada para rede fixa nacional
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Chamada para rede fixa nacional
Oeiras
Oeiras
Rua Luís Tavares 17
2740-315 Porto Salvo
T. 219 362 035
Chamada para rede fixa nacional
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Chamada para rede fixa nacional
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
Chamada para rede fixa nacional