Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Cancro nos ossos: O que é, quais os sintomas e tratamento?

Cancro nos ossos sintomas e tratamento

É raro e na maior parte das vezes é benigno, mas o cancro dos ossos pode ser o responsável pelo desenvolvimento de outros tumores no corpo ao criar metástases, contribuindo assim para uma situação muito mais grave.

As células no nosso corpo têm um período de vida, crescem e dividem-se em novas células, de acordo com as necessidades. A este processo chama-se regeneração celular, as células normais envelhecem ou são danificadas e acabam por morrer naturalmente.

Quando há um problema no ADN das células e este processo deixa de funcionar, não há a morte natural, pelo contrário começam a multiplicar-se de forma descontrolada o que leva à formação de um tumor.

Os tumores do osso, raramente causam a morte, mas têm associados um elemento de perigo porque podem comprometer a saúde dos ossos e consequentemente a saúde geral das pessoas.

O cancro dos ossos pode ser benigno ou maligno. Quando é benigno pode crescer muito e comprometer a estrutura dos ossos, quando é maligno pode criar metástases noutras partes do corpo, comprometendo assim a saúde da pessoa.

O tratamento é essencial para controlar ou possibilitar a remição da doença, por isso o diagnóstico precoce e check-ups médicos regulares são muito importantes.

A recuperação depende do tipo e da fase de desenvolvimento do tumor. Mas, cerca de 75% das pessoas vivem pelo menos 5 anos após o diagnóstico.

Viver com cancro dos ossos pode ser muito stressante. Obter a informação e o apoio adequados é fundamental.

Saiba mais sobre esta doença, os sintomas e como pode ser tratada, neste artigo.

O que é o cancro dos ossos?

O cancro ósseo designa um tumor que se desenvolve em qualquer tipo de osso do corpo, quer sejam os ossos mais compactos ou na cartilagem. As células perdem a capacidade de se reproduzir de forma normal e formam uma massa, ou tumor que afeta a composição do osso e a sua funcionalidade.

Quando o tumor tem origem no próprio osso é referido como cancro primário. O osteossarcoma é a forma mais comum do cancro que afeta os ossos. Surge, geralmente nos joelhos ou nos braços, originado nas células ósseas, mas pode também desenvolver-se na coluna ou nas coxas.

Quando as células cancerígenas têm origem em outros órgãos, mas acabam por se instalar nos ossos, estamos perante um cancro secundário, ou metástases como é mais conhecido. Esta situação acontece mais frequentemente como consequência de outros cancros como o cancro da mama, pulmões, próstata, intestinos ou rins.

Podem também existir lesões ósseas que se assemelham a tumores, ou tumores que são benignos. Alguns exemplos são:

  • o tumor que surge junto aos joelhos e aos pulsos e apresenta células gigantes que não são malignas, 
  • um tumor que forma cartilagem dentro dos ossos das mãos, 
  • uma doença congénita, mas benigna, que provoca desgaste ósseo e lesões em um ou vários ossos, em que as lesões se assemelham a tumores,
  • cistos ósseos.

Existem vários tipos de tumores malígnos que têm a sua origem primária nos ossos:

Osteossarcoma

Afeta sobretudo as crianças e adolescentes e embora possa surgir em qualquer osso, em cerca de metade dos casos, desenvolve-se no joelho, mas pode também surgir nos ombros ou nas ancas.

Condrossarcoma

Surge maioritariamente em adultos e afeta a cartilagem. O tumor desenvolve cartilagem dentro do osso, atinge sobretudo os ombros, a zona pélvica e os braços.

Sarcoma de Ewing

Pensa-se que este tumor tem origem no tecido nervoso e não no osso, embora possa atingir os ossos da coluna, braços, pernas ou a bacia.

Mieloma múltiplo

Ocorre maioritariamente nos adultos mais velhos e afeta sobretudo a medula óssea, acabando por afetar também os ossos.

Adamantinoma

É um tumor raro que se desenvolve na tíbia. Afeta mais os adolescentes e os jovens adultos, mas pode ocorrer em qualquer idade.

Linfoma ósseo

Afeta os adultos, especialmente por volta dos 40 e 50 anos. Pode surgir em qualquer osso.

Fibrosarcoma

Surge nos tendões ou nos ligamentos, mas afeta os ossos também.

Quais as causas do cancro dos ossos?

Até ao momento não foi possível estabelecer uma causa concreta para o surgimento dos vários tipos de cancro dos ossos. Erros no ADN, são apontados como uma das causas possíveis. No entanto, sabe-se que existem alguns fatores que podem contribuir para o seu desenvolvimento:

  • Alterações genéticas
  • Doenças nos ossos como a Doença de Paget que causa deformações nos ossos e afeta adultos e idosos
  • Exposição a quimioterapia ou radioterapia
  • Anomalias congénitas na medula óssea
  • Existência de outros cancros que causam metástases nos ossos

Qual o tratamento?

O tratamento está sempre dependente do tipo e da gravidade do tumor, bem como das condições de saúde do doente. O tratamento é geralmente indicado por uma equipa médica com vários especialistas. Esta equipa irá ter em atenção vários fatores como a localização e dimensão do tumor, se existem ou não metástases e se o doente tem alguma doença genética pré existente.

As opções de tratamento podem incluir cirurgia, quimioterapia e radioterapia, ou uma combinação dos três procedimentos. A cirurgia é efetuada para remover o tumor e a quimioterapia como tratamento antes ou depois do ato cirúrgico. A radioterapia é muitas vezes usada nas situações em que não foi possível remover a totalidade do tumor com a cirurgia.

Outros tratamentos que podem ser aplicados são a colocação de um dispositivo no tumor que permite administrar medicamentos de forma mais direta, a imunoterapia, terapia hormonal, iodo radioativo e outro tipo de medicamentos.

Quando o tumor está localizado num dos membros e é muito grande e afeta os vasos sanguíneos e os nervos, pode ser necessário fazer uma amputação.

Quais os sintomas do cancro dos ossos?

Os sintomas podem não ser facilmente identificados como cancro dos ossos, já que são semelhantes a outras enfermidades.

Alguns dos sintomas associados à doença são:

  • Dores num osso e em vários ossos: inicialmente pode ser uma dor que não é constante, mas apresenta períodos de grande intensidade ao final do dia, por exemplo ou ao efetuar movimentos como caminhar.
  • Inchaço e grande sensibilidade: nas articulações com nódulos, principalmente nos joelhos e nos cotovelos ou num determinado osso.
  • Fraturas: as fraturas na perna ou na coluna sem haver traumatismo que as justifique podem acontecer, porque o tumor torna os ossos mais frágeis e quebradiços.
  • Perda de peso
  • Febre
  • Cansaço extremo
  • Sonolência
  • Confusão
  • Níveis elevados de cálcio no sangue

Como é feito o diagnóstico?

Para chegar ao diagnóstico é necessário realizar alguns exames clínicos, além da análise da história clínica do doente feita pelo oncologista ou ortopedista. Os exames a realizar vão depender das condições de saúde do doente e do estado de gravidade da doença.

Além de análises sanguíneas, os exames a realizar são:

  • Exames de radiologia: ressonância magnética, radiografias e tomografia computadorizada.
  • Cintigrafia óssea: uma substância radioativa é injetada na veia que se vai agregar aos ossos, possibilitando a formação de uma imagem do esqueleto que é captada por uma câmara que deteta a radioatividade presente nos ossos, permitindo avaliar a distribuição dos ossos pelo esqueleto e identificar inflamações causadas por infeções, artrites, fraturas, alterações na circulação sanguínea dos ossos, ou as causas das dores, ajudando o médico a chegar ao diagnóstico.
  • Biópsia: fragmentos do osso afetado são retirados através de uma agulha ou de uma pequena cirurgia. Esta amostra é observada ao microscópio e permite identificar se existe tumor no tecido afetado e se este é maligno ou não.

Quais as complicações?

As complicações possíveis estão relacionadas com o tipo de tumor e com o estádio em que este se encontra.

As complicações mais evidentes que podem surgir são as metástases, quando o tumor se espalha para outras zonas do corpo.

Cancro dos ossos tem cura?

Não é possível prever o desfecho da doença de forma individual para cada doente, porque muitos fatores podem contribuir para o prognóstico, como o tipo e estádio de evolução do tumor, localização, tamanho, idade e reação do doente ao tratamento. 

Um tratamento ajustado ao doente, permite interromper o crescimento do tumor aumentando assim o tempo e a qualidade de vida do doente.

Outro fator a ter em conta é que os tumores podem voltar a aparecer depois de terem sido erradicados pelo tratamento. Quando o tumor se desdobra para outros órgãos, a cura pode ser mais difícil de alcançar. Nos casos em que o tumor se manifesta apenas no osso, a mortalidade é mais reduzida.

Como podemos prevenir o cancro nos ossos?

A prevenção do cancro dos ossos passa pela adoção de um estilo de vida saudável e check-ups médicos regulares, porque não existem medidas preventivas específicas que possam ser aplicadas e o diagnóstico precoce é extremamente importante para aplicar o tratamento o mais cedo possível.

Conclusão

Para algumas pessoas que têm tumor ósseo, o tratamento pode remover ou destruir o tumor. O final do tratamento pode trazer alívio e stress também. Este tipo de cancro tem uma grande probabilidade de voltar.

Para outras pessoas, esta doença pode nunca desaparecer completamente. O tratamento regular com quimioterapia ou outro tipo de tratamentos para tentar ajudar a manter o cancro sob controlo é o caminho mais comum.

Os tratamentos podem também causar problemas ao longo do tempo a outros órgãos, como o coração, pulmões, cérebro, audição, ossos e fertilidade.

O acompanhamento médico regular e manter a vigilância da própria saúde são passos muito importantes. Por outro lado, a adoção de comportamentos saudáveis, tais como não fumar, comer de forma saudável, ter uma atividade física regular e manter um peso saudável podem ter efeitos muito positivos na saúde geral, contribuindo para a diminuição do risco não só do cancro dos ossos como de outros cancros também.

Nos centros Mais que Cuidar pode encontrar uma gama completa de produtos e serviços que dão uma ajuda importante no apoio e na qualidade de vida dos doentes com cancro, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar, como os produtos ortopédicos.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade ajudarão a encontrar as melhores soluções para a sua situação clínica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Juntos Cuidamos Melhor!

Referências:

  • American Cancer Society
  • Liga Portuguesa Contra o Cancro
  • Associação Portuguesa de Investigação em Cancro

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
4 stars