Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

A solidão pode contribuir para o desenvolvimento da Diabetes Tipo 2

Idoso solidão e risco de diabetes

As pessoas que sofrem de solidão crónica depois dos 50 anos correm maior risco de desenvolver diabetes do tipo 2. 

O estudo, que foi publicado no jornal Diabetologia, da Associação Europeia para o estudo da Diabetes ( European Association for the Study of Diabetes -EASD), mostra que a ausência de relacionamentos pessoais de qualidade, não necessariamente a falta de contactos sociais, leva a uma maior probabilidade de desenvolvimento da doença.

O estudo sugere também, que ajudar as pessoas a formar e experienciar relações positivas com os outros, pode ser uma ferramenta útil no desenvolvimento de estratégias preventivas para a diabetes tipo 2.

Estes resultados podem ajudar igualmente no contexto da Covid-19. Têm sido reportadas ligações entre a existência de diabetes nos doentes com Covid-19 e uma maior taxa de mortalidade, sendo a experiência de confinamento um fator importante para o desenvolvimento de uma maior vulnerabilidade, no contexto da pandemia, para a solidão prolongada, o que por sua vez pode influenciar o desenvolvimento da diabetes.

A solidão ocorre quando os indivíduos têm a perceção de que as suas necessidades de relacionamento e contatos sociais não são satisfatórias e não têm qualidade, havendo um desequilíbrio acentuado entre os contactos sociais existentes e os desejados.

Um quinto dos adultos no Reino Unido e um terço dos adultos nos Estados Unidos, indicam sentir-se sós. Em Portugal, cerca de 9% dos adultos entre os 50 e os 64 anos indicam sentir solidão.

Este estudo analisou os dados de um outro estudo longitudinal sobre o envelhecimento realizado no Reino Unido, uma amostra de 4112 participantes com idades a partir dos 50 anos foi analisada.

Solidão e diabetes nos adultos

Todos os participantes no estudo não sofriam de diabetes e tinham níveis normais de glucose no sangue quando os dados começaram a ser recolhidos. Os dados foram colhidos entre 2002 e 2017.

A análise dos dados revelou que ao longo de 12 anos, 264 pessoas desenvolveram diabetes do tipo 2, sendo que o nível de solidão reportado por estes participantes no início do estudo, serviu como um forte indicador do surgimento da doença mais tarde.

Esta correlação manteve-se inalterável em relação a outras variáveis que podem contribuir para a doença, como o consumo de tabaco, nível de glicose no sangue, pressão sanguínea alta, consumo de álcool, doença cardiovascular, depressão e isolamento social.

O estudo aponta também para uma distinção entre solidão e isolamento social, sendo que o isolamento ou viver sozinho não são fatores indicadores da doença, ao contrário da  solidão, que se refere à qualidade das relações e que se apresenta como um fator relevante para o desenvolvimento da diabetes.

Uma das explicações para esta relação entre os fatores, pode ser o impacto biológico que a solidão constante pode ter no sistema responsável pelas respostas ao stress, que ao longo do tempo afetam o corpo e podem contribuir para o desenvolvimento de diabetes.

Se o sentimento de solidão se torna crónico, todos os dias o sistema de resposta ao stress é estimulado e com o tempo leva ao desgaste do corpo, o que potencia o surgimento de doenças.

Outra explicação pode estar no comportamento psicológico dos indivíduos, dado que quando as pessoas sentem solidão tendem a esperar que os outros tenham reações negativas, o que dificulta a formação de boas relações sociais.

O interesse pela influência da solidão na saúde tem vindo a aumentar nos últimos anos, vários estudos indicam o seu papel no aumento do risco de morte e de desenvolvimento de doenças cardíacas.

Em Portugal cerca de 40% da população com mais de 65 anos vive sozinha, com a expetativa de aumento da população idosa no futuro, as questões de isolamento social e solidão são de extrema importância para definir estratégias de prevenção de doenças e melhoria da qualidade de vida.

Referências:

  • Ruth A. Hackett, Joanna L. Hudson, Joseph Chilcot. Loneliness and type 2 diabetes incidence: findings from the English Longitudinal Study of Ageing. Diabetologia, 2020; DOI: 10.1007/s00125-020-05258-6
  •  King’s College London. (2020, September 15). Loneliness predicts development of type 2 diabetes. ScienceDaily. Retrieved November 1, 2020 from www.sciencedaily.com/releases/2020/09/200915105943.htm

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225
4 stars