Central de Atendimento

Como podemos ajudar?
Precisa de ajuda?

Hipotiroidismo sintomas: como tratar e como prevenir?

Hipotiroidismo no adulto

As hormonas têm um papel muito importante no bom funcionamento do organismo, afetando em grande parte o funcionamento de todos os órgãos.

As hormonas que são segregadas pela tiróide têm uma função essencial no controlo do metabolismo, atuando na forma como as células utilizam a energia, consomem oxigénio ou produzem calor.

O hipotiroidismo ocorre quando a tiroide tem uma produção deficiente de hormonas. Pode ser uma doença crónica, ou pode manifestar-se em episódios agudos, mas afeta sobretudo as mulheres a partir dos 30 anos, por cada homem há quatro mulheres que sofrem com a doença.

Em Portugal 10% da população sofre de doenças da tiroide e estima-se que 3% da população em geral sofre de hipotiroidismo, mas mais de metade não sabe que tem a doença. Uma das razões para isso é a incapacidade de identificar a doença através dos sintomas, já que estes são muito variados e podem ser facilmente confundidos com outras doenças ou alterações corporais.

Saiba mais sobre o hipotiroidismo, como identificar a doença e qual o tratamento mais adequado neste artigo.

O que é o Hipotiroidismo?

Hipotiroidismo que é

O Hipotiroidismo desenvolve-se quando há um mau funcionamento da tiróide e esta glândula não produz hormonas em quantidade suficiente para o normal funcionamento do organismo.

A tiroide faz parte do sistema endócrino e está localizada junto à traqueia, no pescoço. Este órgão é responsável pela produção de duas hormonas: triiodotironina e a tetraiodotironina que por sua vez são responsáveis pela gestão da energia nas células, ou seja, pelo metabolismo.

A produção destas hormonas é regulada por outra hormona: a TSH que é produzida na hipófise. Quando as duas hormonas produzidas pela tiróide têm níveis baixos, o volume de TSH aumenta na circulação sanguínea, servindo assim como um equalizador dos valores hormonais no sangue.

O hipotiroidismo ocorre quando a produção das duas hormonas é baixa e pode manifestar-se como uma ocorrência aguda, um curto período de tempo, ou de forma crónica.

A doença pode afetar todos os órgãos do organismo, se não for tratada, já que a função da tiróide é essencial ao funcionamento de todas as células. Em casos extremos, perturbações no seu funcionamento podem levar a problemas cardíacos, coma e até mesmo à morte.

Quais as causas do Hipotiroidismo?

Causas do hipotiroidismo

As causas da doença são muito variadas e pode abranger muitas influências tão diferentes como a falta de iodo na alimentação ou doenças inflamatórias.

Estas são algumas das causas:

  • Tiroidite autoimune: em alguns casos o sistema imunitário ataca a tiroide provocando o seu funcionamento deficitário.
  • Hipertiroidismo: por vezes a tiroide faz o posto e produz hormonas em excesso, nesta situação estamos perante o hipertiroidismo. Esta situação obriga à tomada de medicamentos para estabilizar a produção, o que pode levar à situação inversa e a tiróide deixa de produzir as hormonas em quantidade suficiente.
  • Cirurgia: a intervenção cirúrgica na glândula pode afetar a sua capacidade de produção hormonal, o que leva o doente a ter que fazer substituição hormonal.
  • Radioterapia: este tratamento cancerígeno pode afetar o funcionamento da tiróide.
  • Fatores congénitos: uma malformação, ou interferências no desenvolvimento da tiróide no útero, durante a gravidez, pode deixar marcas e provocar hipotiroidismo mais tarde.
  • Medicamentos: alguns medicamentos como o lítio podem interferir com o funcionamento da tiróide.
  • Perturbações na gandula hipófise: esta gandula é responsável pela regulação das hormonas no organismo, se a sua função está perturbada por lesões ou pela existência de cancro, nomeadamente na produção de TSH, pode dar origem ao hipotiroidismo.
  • Insuficiência de iodo: o baixo consumo de iodo na alimentação, que pode ser encontrado no marisco e peixe, pode prejudicar a produção das hormonas da tiróide e consequentemente ao hipotiroidismo. 
  • Doenças inflamatórias: a inflamação da glândula pode afetar a sua produção hormonal e desencadear o hipotiroidismo.

Qual é o tratamento das Hipotiroidismo?

Tratamento médico do hipotiroidismo

O tratamento para o hipotiroidismo faz-se sobretudo com fármacos. A dose dos medicamentos varia de doente para doente dependendo da gravidade da doença e a fase de vida em que o doente se encontra.

Os medicamentos contêm as hormonas em falta de forma sintética e a sua toma, normalmente diária, deve ser acompanhada pelo médico endocrinologista, que vai baseando a sua recomendação nos exames clínicos e nos resultados das análises periódicas aos níveis hormonais.

Se o hipotiroidismo ocorrer durante a gravidez, por exemplo, as doses têm que ser aumentadas em diferentes estádios.

A medicação consegue corrigir totalmente o déficit das hormonas no organismo, mas a vigilância médica é importante porque podem ser necessários alguns ajustes nas doses ao longo do decurso da doença, já que quantidades baixas ou elevadas de hormonas a circular no organismo podem ter efeitos colaterais como insónias, palpitações, tremores ou aumento de apetite.

Os efeitos do tratamento costumam surgir entre uma a duas semanas depois do seu início e o efeito abrange não só os níveis hormonais, mas também outros efeitos provocados pela doença, como o aumento de peso ou o nível de colesterol no sangue.

Por vezes é adotado o sistema de substituição hormonal progressivo para dar ao organismo a possibilidade de se ir adaptando aos níveis hormonais que levam a um metabolismo mais acelerado.

Alguns alimentos, suplementos ou mesmo outros medicamentos podem afetar a capacidade do organismo para absorver as hormonas do tratamento, por isso é importante informar o médico da existência destas situações. Alimentos com grandes quantidades de soja, ricos em fibras ou suplementos de ferro e cálcio podem afetar o tratamento e a sua eficácia.

Quais os sintomas da hipotiroidismo?

Sintomas do hipotiroidismo

Os sintomas podem ser muito similares a outra doença e podem também variar de intensidade, dependendo do grau de gravidade e do tempo de evolução da doença.

O leque de sintomas pode ser tão variado como:

  • Oscilação de peso acentuada
  • Níveis altos de colesterol
  • Alterações de apetite
  • Fadiga
  • Tremores
  • Palpitações cardíacas
  • Olhos salientes
  • Nódulos no pescoço
  • Cansaço
  • Cabelo ressequido
  • Palidez
  • Queda de cabelo
  • Dores e cãibras musculares
  • Pele rugosa
  • Dificuldades de concentração
  • Problemas de memória
  • Sonolência
  • Depressão
  • Irregularidade menstrual
  • Prisão de ventre
  • Inchaço no corpo
  • Fragilidade das unhas
  • Perda de expressão facial
  • Voz rouca e dicção lenta
  • Pálpebras descaídas
  • Intolerância ao frio
  • Confusão mental

Como é feito o diagnóstico?

Diagnóstico do hipotiroidismo

O diagnóstico é feito pelo médico endocrinologista com base nos sintomas e nos resultados dos exames clínicos.

O médico irá averiguar a duração dos sintomas, a sua frequência e intensidade. O médico irá depois solicitar a realização de testes sanguíneos para verificar os níveis hormonais quer da tiróide quer da hipófise.

Poderá também pedir a realização de uma ecografia ao pescoço, caso existam nódulos para que possa verificar as suas caraterísticas e tamanho.

O diagnóstico é confirmado pelos resultados dos testes sanguíneos. O médico poderá ainda solicitar outros exames complementares para melhor definir o tratamento.

Quais as complicações?

Hipotiroidismo complicações

A complicação mais grave que pode ocorrer se o hipotiroidismo não for tratado é o coma e eventualmente a morte.

Outras complicações podem também surgir:

  • Desenvolvimento de bócio: a estimulação frequente da tiroide pode levar a um aumento muito acentuado do seu tamanho, o que traz dificuldades para engolir ou mesmo respirar.
  • Problemas cardíacos: o hipotiroidismo pode levar a um aumento de colesterol o que por sua vez pode desencadear o aparecimento de doenças do foro cardíaco.
  • Alterações da qualidade de vida: a doença pode provocar depressão e outros problemas psicológicos como a falta de memória ou dificuldade de concentração, o que por sua vez tem um relevante impacto na qualidade de vida do doente.
  • Neuropatia periférica: as deficiências hormonais podem levar à existência de danos nos nervos periféricos, o que provoca fadiga e perda de controle dos músculos.
  • Mixedema: é uma complicação que afeta sobretudo a pele e os tecidos, resultando de um hipotiroidismo grave e prolongado. Apresenta-se com letargia profunda e pode levar à inconsciência e coma.
  • Infertilidade: os desequilíbrios hormonais provocados pelo mau funcionamento da tiroide podem ter impacto na ovulação e consequentemente infertilidade nas mulheres.
  • Problemas congénitos: os bebés nascidos em mulheres com problemas no funcionamento da tiróide têm um maior risco de desenvolver problemas de desenvolvimento nos fetos e a existência de malformações à nascença. As crianças com hipotiroidismo congénito não tratado correm também o risco de apresentar problemas no seu desenvolvimento físico e mental.

A hipotiroidismo tem cura?

Cura do hipotiroidismo

Com o tratamento adequado e atempado, os níveis hormonais tendem a voltar ao normal facilmente.

Nos casos de hipotiroidismo crónico a substituição hormonal terá que existir durante toda a vida do doente.

Como podemos prevenir a hipotiroidismo?

Uma prevenção consistente e pré-determinada não é possível de implementar. A melhor forma de prevenir um quadro mais grave é fazer check-ups médicos regulares e testes sanguíneos para verificar o funcionamento da tiroide e os seus níveis hormonais.

Conclusão

Hipotiroidismo conclusão

O hipotiroidismo é uma doença impactante na qualidade de vida das pessoas, que pode afetar a autoestima, a capacidade para o trabalho e a vida pessoal.

A fadiga, sonolência, aumento de peso, depressão e problemas nas articulações e músculos, são alguns dos sintomas da doença e que podem pertencer a outros quadros patológicos, por isso muitas vezes a doença não é detetada atempadamente o que pode levar a situações mais graves ou outras complicações.

Ser mulher, ter 60 anos ou mais, ter uma doença autoimune e ter feito radioterapia são alguns dos fatores de risco da doença. Sendo o distúrbio autoimune da tiroide uma das causas mais frequentes para o aparecimento do hipotiroidismo.

Esta é uma doença em que o diagnóstico precoce e o tratamento atempado podem fazer toda a diferença na vida do doente. Neste sentido, as mulheres principalmente devem fazer testes regulares à função da tiróide, sobretudo a partir dos 65 anos, já que um episódio agudo nesta idade pode levar a que a doença se transforme num distúrbio crónico, sendo o acompanhamento e aconselhamento médico importantes para encontrar o tratamento mais adequado.

Nos centros Mais que Cuidar pode encontrar uma gama completa de produtos de apoio e serviços  que dão uma ajuda importante no apoio e no conforto em casos de Hipotiroidismo ou outras doenças, prestando cuidados de saúde ao domicilio (apoio domiciliário, fisioterapia, enfermagem) e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade ajudarão a encontrar as melhores soluções para a sua situação clínica. Temos ao seu dispor uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do ano.

Referências:

*Atenção: O Blog Mais que Cuidar é um espaço informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Central de Atendimento

como podemos ajudar?
Apoio via Whattsapp
Entre em contato
através do Whattsapp.
ABRIR WHATTSAPP
Apoio por Telefone
Contacte-nos todos os dias
úteis entre 10h às 19h e aos
Sábados das 10h às 13h
Lojas de Ortopedia e Geriatria em Portugal
Procuramos estar cada vez mais perto de si.
Venha conhecer-nos! Juntos Cuidamos Melhor.
Porto
Porto
Estrada da Circunvalação 14688
4450-097 Matosinhos
T. 224 054 146
Lisboa
Lisboa
Rua Manuel Martins da Hora, 2
1750-172 Lisboa
T. 210 402 220
Almada
Almada
Rua do Regil 21A
2805-234
Almada
T. 210 402 248
Faro
Faro
Estrada Municipal 514
Zona Ind. da Barracha, Lote 11
8150-017 São Brás de Alportel
T. 289 824 225