8 dicas importantes de como tornar a casa mais segura para quem tem osteoporose

Idosa com bengala quedas

A osteoporose é uma doença óssea que requer muito cuidados. É preciso tanta atenção que muitos doentes evitam fazer grandes esforços no dia a dia, como sair de casa e arriscar movimentos em geral. Engana-se, no entanto, quem pensa que dentro das nossas próprias casas estamos imunes às quedas, ficando assim sujeitos a fraturas. Todo o cuidado é pouco, e é fundamental deixar a casa mais segura para melhorar a qualidade de vida para quem sofre de osteoporose.

Uma casa segura

A osteoporose é comum nos idosos, especialmente em mulheres após a menopausa, que naturalmente vão perdendo massa óssea, ou seja, vão ficando com os ossos cada vez mais enfraquecidos e porosos. Desta forma, devemos começar a aumentar a nossa atenção ainda dentro de casa. « Uma casa segura é uma casa sem escadas, tapetes ou objetos escorregadios e com casa de banho e corredores com corrimões e barras de apoio. Tudo para evitar quedas» diz o ortoprotésico Ricardo Fernandes.

Veja abaixo as 8 dicas que selecionámos para manter uma casa segura para quem tem osteoporose e impedir surpresas desagradáveis aos doentes:

  1. Armários e gavetas mais baixos para não utilizar escadotes ou bancos para alcançar objetos.
  2. Cama articulada regulável em altura para facilitar a entrada e saída da cama.
  3. Cadeiras e poltronas com braços laterais para ajudar a levantar e a sentar. Existem poltronas elétricas que tem o sistema de ajudar a levantar e a sentar.
  4. Luzes de presença no quarto e no trajeto para a casa de banho evitam quedas no escuro.
  5. Ambiente bem iluminado com a utilização de lâmpadas fluorescentes.
  6. Fios elétricos presos na parede e não usar tomadas ou fios elétricos soltos no chão que possam provocar tropeçamentos.
  7. Se usar tapetes, estes devem ser fixados ao chão com fita adesiva adequada.
  8. Se tiver escadas, deverá ter sempre corrimão para apoio e antiderrapantes nos degraus.

 

Ricardo Fernandes é ortoprotésico licenciado pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e exerce funções na Mais que Cuidar Santarém.